O Charlatanismo da Pró-Vida


Fonte do texto origial: http://www.uniblog.com.br/oranzinza/221112/o-charlatanismo-do-pro-vida.html

O charlatanismo que utiliza a pseudociência vem ganhando cada vez mais crentes adeptos no mundo. Isso ocorre, ao meu ver, devido à falta de informação verdadeira sobre. Como primeira postagem do meu blog vou relatar o que pode ser encontrado na wikipedia sobre a verdade do Pró-Vida. A primeira vez que procurei saber fiquei espantado.

O QUE É?

A Pró-Vida, Integração Cósmica (ou PRÓ=VIDA) é uma instituição idealizada e fundada em 1979 pelo médico e dito filósofo Dr. Celso Charuri (1940-1981) com sede central em São Paulo capital, e que oferece cursos de um conceito declarado "treinamento e desenvolvimento mental", filosofia não-tradicional e meditação, com sincréticos de diversas religiões, com o intuito de, segundo a própria instituição, "acelerar o ritmo evolutivo natural do ser humano em direção a integração com a Consciência Cósmica.".

Críticos e céticos consideram os cursos e a própria instituição mística, pseudo-científica e esotérica e muito de seus conceitos pouco claros.

A instituição é atualmente administrada por uma diretoria constituída por membros mais antigos e pela família do fundador.

Os temas abordados nos cursos ministrados pela instituição são alvos de críticas por parte de cientistas e céticos, por serem apresentados como verdadeiros ou "científicos" diversos conceitos místicos comuns a grupos esotéricos e da chamada Nova Era, sem o amparo de estudos sérios (e em muitos casos de estudo algum).

A instituição, por também abordar assuntos religiosos, sofre abertamente algumas críticas de igrejas protestantes[1] e de outras seitas e religiões.

O idealizador afirma, de forma retórica, que o homem pretende alcançar uma "imortalidade" através de meios equivocados, e a Pró-Vida proveria meios - através de suas idéias e cursos ministrados - de fazê-lo buscar essa imortalidade da forma correta.

"O homem pretende ser imortal e para isso defende princípios efêmeros[2]. Um dia, inexoravelmente[3], descobrirá que para ser imortal deverá defender Princípios Absolutos[4]. Nesse dia, morrerá para a carne[5], efêmera[2], e viverá para o Espírito, Eterno[6]. Será Imortal."  
Dr. Celso Charuri

Fonte da citação: site oficial:
http://www.provida.org.br/ (19/jul/2006)

A Pró-Vida tem crescido significativamente ao longo dos anos, tendo fundado sedes por todo o Brasil e tendo implantado pontos de presença na Argentina, Chile, Bolívia, Itália, Espanha e Portugal.

A instituição possui um clube de campo para seus alunos em Araçoiaba da Serra, interior de São Paulo. Possui outro também no estado do Paraná e na Argentina.

Muitos alunos da Pró-Vida podem ser identificados pelo adesivo triangular no vidro traseiro de seus carros, onde se lê "Pró-Vida - Integração Cósmica - Se você já estiver preparado, uma Força Maior o levará à Pró=Vida"[7].

A instituição tem um posicionamento assumidamente conservador, se colocando contra o aborto, a liberdade sexual e a homossexualidade e defendendo os ideais de família, fé e propriedade privada. O divórcio também é fortemente condenado.

Alguns membros compactuam com tais idéias, porém rejeitam o título de "conservadorismo".

Cursos ministrados

São ministrados ao aluno nove cursos, sendo os três primeiros (Básico, Avançado 1 e Introdução) com duração de uma semana cada um.

Segundo a instituição, nesses cursos são discutidos e analisados "temas dentro das esferas mental, física e espiritual".

Os cursos são ministrados por monitores previamente treinados pela instituição, formados entre os alunos, muitos dos quais foram alunos de Charuri enquanto este ainda vivia e ministrava os cursos.

O aluno deve repeti-los gratuitamente para ser considerado apto a se inscrever para o curso seguinte. No entanto, a conclusão do curso anterior não significa que o aluno seja automaticamente aceito no próximo curso. Além de pagar pelo mesmo, o aluno deve ser aprovado em um procedimento denominado "preceptoria", que obedece a critérios não revelados, para a sua aprovação.

Por não esclarecer "o que", e "como" está sendo avaliado, a preceptoria acaba sendo um processo misterioso que se baseia em critérios subjetivos dos avaliadores. Algumas pessoas chegam a ficar 10 anos no mesmo curso, como foi o caso de Júlia P. Oswald, conforme relatado em entrevista jornalística[8]. Segundo Júlia, era dito a cada reprovação que "faltou só um pouquinho".

Essa preceptoria, assim como a entrevista de admissão da instituição, também servem como um "filtro", que aparentemente barra pessoas que se mostram questionadoras, incrédulas, ou que apresentem qualquer tipo de comportamento reprovado pela instituição.

Segundo membros da instituição, os cursos fornecem um "treinamento mental" que "abre os olhos" (ou "quebra barreiras psicológicas") do homem, ampliando portanto uma referida "Consciência Cósmica". Com essa ampliação: "(...) o homem conhecerá a Verdade. Esta o levará à Justiça, que lhe dará Liberdade e, finalmente, o homem encontrará a almejada Paz."[7]

O conteúdo dos cursos não é divulgado externamente e portanto o que se segue são informações de participantes e ex-participantes. O conteúdo dos cursos da Pró-Vida, assim como a sua doutrina, é um misto de conceitos pseudo-científicos, técnicas de relaxamento, material de auto-ajuda, dogmas, esoterismo e rudimentos de filosofia.

Juntam-se ao material didático muitas histórias sobre o fundador da instituição (a grande maioria relatando supostos feitos paranormais), demonstrações de supostas curas de males, algumas anedotas, e um resumo da história da instituição.

Segundo membros da instituição, as pessoas que lá trabalham não são remuneradas. São os alunos que dão plantões não remunerados para atender a demanda de todo tipo de profissionais, de recepcionistas a fotógrafos.

Durante o Básico, alunos de cursos mais avançados sentam-se ao lado do palco onde fica o monitor durante as aulas, e observam o grupo de novos alunos durante toda a semana de duração do curso, o que é considerado intimidador por alguns, que se sentem "vigiados".

É solicitado aos alunos iniciantes que não façam anotações durante o curso, sob a justificativa de que o aluno deve "sentir" o conhecimento e que realizar anotações prejudica a dinâmica do curso.

O curso Básico aborda temas como ondas cerebrais, supostos poderes das Pirâmides e da mente (manifestados em "fenômenos" como clarividência, telepatia e levitação), suposta cura de dores e doenças através de um procedimento chamado 'impostação de mãos' e algum material de auto-ajuda.

Cientistas e céticos questionam tais experimentos, que ainda não forma comprovados pelos métodos científicos tradicionais. Não são citados estudos ou apresentadas provas dos fenômenos ditos paranormais.

O curso seguinte chamado "Avançado" deixa um pouco de lado os temas místicos e se concentra fortemente no material de auto-ajuda. São oferecidos aos alunos conselhos e ensinamentos para se defender do "mundo exterior", que é caracterizado como agressivo e hostil para os freqüentadores da Pró-Vida.

Esse mundo exterior é chamado "Macrosfera" e dele fariam parte tudo que não pertence ao círculo familiar e da própria Pró-Vida.

Em uma das aulas, é feita uma encenação que só é sabida previamente pelo monitor e pelos alunos mais antigos, sendo inclusive necessária a participação destes para que tal encenação se desenrole de maneira convincente. Daí, segue-se o seguinte:

O monitor entra na sala e finge tropeçar, derrubando diversos objetos que se encontram em cima da mesa. Os alunos mais antigos são previamente instruídos a dar risadinhas, provocando uma demonstração de ira e fúria do monitor, que passa a gritar e ofender os alunos. A reação dos alunos mais novos, a quem se dirige a simulação e nada sabem, é de espanto; ao final da encenação o monitor vira sorrindo e diz: "Esta é a macrosfera".

Os ensinamentos se apresentam na forma de regras bem específicas e estabelecidas, como por exemplo na aula onde se ensina a lidar com pessoas da "Macrosfera" que tentam lesar os outros. É sugerido que durante 3 vezes em que se foi agredido, ofereça-se a outra face. Na quarta vez, deve-se virar as costas ao agressor para sempre. Essa regra não se aplica somente aos pais, de quem se deve perdoar a mais grave das ofensas, incluindo agressões físicas e até mesmo sexuais. O instrutor alega que deve-se virar as costas com a intenção de ajudar o agressor.

A idéia tradicionalmente conservadora de que devemos aceitar qualquer agressão vinda dos pais, por pior que seja, é resumida em mais um dogma da instituição que prega "Pai e Mãe, respeito para toda a vida".

No curso "Introdução" há uma encenação onde o monitor entra, escreve uma porção de palavras de efeito na lousa (como familia, vida, morte, dinheiro), leva a mão à cabeça, se demonstra atormentado, vira os quadros de Jesus Cristo e Celso Charuri (que se encontram em todas as salas da instituição lado a lado) até que se vira e coloca as mãos sobre os dois, de costas para os alunos e de cabeça baixa. Fica em silêncio por alguns instantes. De repente, começa a apagar vigorosamente algumas das palavras, em uma cena que se pretende catártica. Terminada a encenação, o monitor vai embora sem dizer uma palavra, encerrando a aula do dia.

Segundo críticos, são observadas técnicas de manipulação de audiência (como leitura fria) em todas as aulas dos 3 primeiros cursos.

É reforçado também o tema do "merecimento", que é um dos dogmas mais estabelecidos da instituição. Segundo esse dogma, "Tudo é merecimento".

Se não se conquista dinheiro ou sucesso, é uma questão exclusiva de falta de merecimento. Segundo o mesmo ensinamento, a obtenção de sucesso e dinheiro também é consequência exclusiva do merecimento.

Esse merecimento (ou a falta dele) é julgado por uma suposta "Consciência Cósmica".

Segundo críticos, essa abordagem além de simplista é superficial, e procura despertar culpa em quem não goza de "sucesso" segundo o parâmetro estabelecido pela instituição.

Objetivo e posição dos membros


Geralmente os membros da instituição dizem frequentá-la em busca de um "Mundo Bem Melhor" e em busca de "felicidade". O "Mundo Bem Melhor" é um conceito bastante repetido nos cursos e é grafado exatamente dessa forma personificada (com iniciais maiúsculas), como se fosse um nome próprio ou algum ser com autonomia. Essa personificação de conceitos abstratos e gerais é uma característica bastante marcante na filosofia da instituição, assim como também ocorre em diversas outras religiões e seitas esotéricas.

Segundo eles, a instituição forneceria meios, técnicas ou "ferramentas" para se alcançar uma "paz interior" - alguma tranquilidade sobre os problemas de estresse e ansiedade que o homem moderno enfrenta no cotidiano - e forneceria também conceitos sobre moral e filosofia de vida.

Assim como em certas religiões, alguns membros da Pró-Vida alegam que o dinheiro pago pelos cursos é revertido em forma de benefícios internos e pessoais, possuindo portanto uma boa relação custo-benefício.

Outros dizem que a instituição apenas prega um ideal que pode se adaptar ou não à realidade de cada um. E essa idéia/filosofia é soberana (ou independente) perante à instituição em si.

Desde o primeiro curso é dito que os alunos são privilegiados, por uma "Força Maior" tê-los levado à instituição. É sugerido aos alunos que se classifiquem dentro de uma escala composta dos seguintes degraus evolutivos: mineral, vegetal, animal, homem, e "Homem Superior". É dito que quem prosseguir nos cursos até o final chegará ao estágio final dessa escala evolutiva, mas todos ali presentes, por terem ingressado na Pró-Vida já estariam encaminhados.

Os membros tratam com desdém pessoas que se mostram incrédulas frente a alegações que desafiam o conhecimento científico humano. Céticos são taxados de "béticos", em referência às ondas cerebrais predominantes quando estamos acordados (ondas beta). É inclusive ressaltado nos cursos a semelhança entre as palavras "cético" e "bético", sendo a última palavra utilizada pejorativamente dentro da instituição.

A utilização de um grande adesivo triangular no vidro traseiro dos carros dos membros é incentivada. Internamente é normal comentários como: "Se um acidente acontecer na estrada por exemplo e você ver um adesivo no vidro do carro, pode parar e prestar ajuda que não será assaltado", comenta um participante.

Fundador e idealizador Celso Charuri

O fundador da Pró-Vida, Celso Charuri, é reverenciado pelos frequentadores da instituição com adoração, sendo categorizado como desde "uma mente brilhante tal como Jesus Cristo, Robespierre, Joana D'Arc" até um messias moderno que curava doentes com um suposto poder da mente, lia pensamentos, dava comandos mentais a outras pessoas e previa o futuro, sendo inclusive parte da crença dos membros da instituição a idéia de que Charuri teria previsto o dia da própria morte.

Charuri é chamado de Filosófo e Psicanalista durante os cursos (é considerado como tal pelos membros da instituição), porém nunca publicou textos de filosofia, e seu livro se encontra na seção de auto-ajuda em livrarias. É fato que Charuri foi médico (em seu nome consta registro no Conselho Regional de Medicina, inativo desde a data de sua morte), no entanto, não se formou nem em filosofia nem em psicanálise.

O título de psicanalista é impreciso e sem embasamento; seu aberto posicionamento mistíco em textos sobre temas como "Consciencia Cósmica", pirâmides e supostos poderes da mente, além da defesa de posições conservadoras sobre temas como aborto, sexo na adolescência e homossexualidade, contrariam o ponto primordial na formação de um psicanalista: a escuta isenta, sem julgamento ou preconceito em relação a comportamentos que divergem de uma suposta "normalidade".

Segundo Contardo Caligaris, colunista da Folha de São Paulo, psicanalista Lacaniano e ex-aluno do próprio Jacques Lacan na École Freudienne de Paris, " Um psicoterapeuta (e ainda mais um psicanalista) que define uma conduta como desvio, não fala em nome da psicoterapia, e ainda menos em nome da psicanálise. Ele fala quer seja em nome do seu anseio de normalidade social, quer seja em nome de seu esforço para reprimir nele mesmo o desejo que parece condenar. Segundo, e mais geral, quem estigmatiza categorias universais, como 'os homossexuais', 'os sadomasoquistas', etc., é um atacadista, enquanto os psicanalistas trabalham no varejo: a fantasia e o desejo só encontram seu sentido nas vidas singulares." (Cartas a um jovem Terapeuta - Contardo Calligaris, editora Alegro, 4a edição.) O posicionamento conservador da Pró-Vida, e a criação de uma instituição desse tipo, vão no sentido oposto de toda a teoria e prática psicanalítica nos seus mais de cem anos de existência.

São atribuídos a Celso Charuri pela Pró-Vida os seguintes episódios, entre outros:

* Ter dado a uma recém-nascida sem chances de sobreviver o "Sopro da Vida", onde após tal sopro, o bebê que até então era incapaz de respirar sem ajuda de aparelhos, começou a respirar instantaneamente e sobrevive até hoje.

* Ter dado um comando mental a diversos metros de distância, a um operador de um carrossel para que parasse o brinquedo, pois o operador estava dormindo, o brinquedo não parava, e sua filha estava dentro.

* Ter curado diversas pessoas com o poder da mente e auxílio de pirâmides.

* Ter o conhecimento do dia de sua morte; uns dias antes, teria se despedido de todos, dado instruções aos membros da Pró-Vida, e no dia marcado para o seu falecimento, se dirigiu a um hospital e avisou aos médicos que dali a pouco teria um ataque cardíaco, o que, ainda segundo a história, aconteceu.

* Todas essas histórias (dentre outras), são contadas (repetidas vezes) pelos monitores durante o curso básico, sendo verificáveis por qualquer um que se dispuser a frequentar o curso e for previamente aprovado na entrevista.

Pseudo-ciência e Misticismo

Diversas vezes durante as aulas os monitores da Pró-Vida se colocam como se falassem em nome da comunidade científica ao defenderem conceitos e suposições reconhecidamente pseudo-científicas, além de apresentar especulações místicas sobre supostos fenômenos paranormais como fatos comprovados.

A postura desencorajadora no que tange a questionamentos e provas (o que contraria o método científico que é composto fundamentalmente pela prática de questionamentos e necessidade de provas), e o fato de todas as teorias da instituição serem baseadas em temas como a existência de vida após a morte e a existência de um Deus nos moldes das religiões ocidentais monoteístas (conceitos apresentados como verdades absolutas e irrefutáveis desde o primeiro dia de curso), fazem com que os ensinamentos da Pró-Vida não encontrem respaldo algum no meio científico.

A instituição é considerada mística por supostamente desenvolver estudos e defender conceitos de parapsicologia, ciências alternativas (ou pseudociências), energias cósmicas, de pirâmides e outros assuntos esotéricos.

Polêmicas envolvidas

Apesar da Pró-Vida se auto-intitular uma escola filosófica, ela tem todas as características de uma religião qualquer: conceitos místicos são pregados como se fossem reais e a fé é estimulada aos membros por parte dos monitores.

Além disso, a instituição compartilha muitas características com religiões e seitas que dão abertura ao fanatismo, mas a instituição e seus membros alegam ser "opostos" a tal atitude. Esse fanatismo implícito faz com que, por exemplo, alguns membros prefiram se relacionar somente com outros membros, ou fazem com que queiram que seu parceiro sexual faça parte do Pró-Vida e/ou conheça/aceite seus princípios e doutrinas. Apesar dsso não ser uma postura oficial da instituição e disso também não ser incentivado nos cursos.

Os métodos para ensinar algumas "verdades" são tidos como pseudo-científicos e os ideais não são flexíveis: a instituição não encoraja seus membros a questionarem, duvidarem ou contra-argumentarem as coisas que aprendem. Os cursos ocorrem numa relação quase totalmente unilateral. Por causa disso, os fiéis dificilmente têm olhar crítico a respeito da instituição, até mesmo porque a filosofia pregada pressupõe que os frequentadores (principalmente os mais avançados no curso) são "mais evoluídos" que os demais, ou que os frequentadores foram de algum forma "escolhidos" e estão lá por algum motivo "superior" misterioso, como se fosse uma obra sobrenatural do destino. — Apesar das críticas externas, os membros aparentemente não se incomodam muito com isso e alegam que a "filosofia" pregada na instituição é útil e prática, resultando numa qualidade de vida superior. Alguns ex-membros que não concordam mais com as doutrinas da instituição dizem que essa "paz" ou "felicidade" é na verdade fictícia e camuflada por uma fé cega que não estimula a busca pela verdade. Qualquer questionamento sem resposta feito por "não membros" sobre as práticas da Pró-Vida tem como resposta algo como: "você não está preparado", "você não está em sintonia" ou "você está em outra frequência".

Algumas técnicas de hipnose e de exagerada repetição são frequentemente utilizadas nos cursos ministrados fazendo com que alguns não-membros acreditem ser uma espécie de "lavagem cerebral".

Caráter misterioso e a dita "ciência"

A Pró-Vida mantém uma posição misteriosa sobre o que é ensinado nos cursos e sobre sua própria filosofia. Um comunicado interno aos monitores e professores os instruem a não dar qualquer tipo de entrevista. Nenhum conteúdo programático dos cursos pode ser divulgado, a não ser que você ingresse como aluno pagando os cursos após ser aprovado por uma entrevista prévia[9].

A página na internet oficial[7] mantém o mínimo de informação pública possível e as poucas informações ainda não estão de forma clara e objetiva. Há uma página especial que é restrita somente aos membros da instituição.

No próprio site há uma seção intitulada "Ciência" descrevendo de forma muito breve um dito "Departamento Científico". O site descreve: "O Departamento Científico da PRÓ-VIDA desenvolve pesquisas em diversos campos, como Física, Medicina, Astronomia, Biologia, Bioenergética e outros. Além disso, promove palestras de temas científicos de interesse dos participantes da PRÓ-VIDA, enriquecidas por uma perspectiva filosófica."

Note, porém, que esse suposto "departamento científico" — apesar de ser integrado eventualmente por pessoas do meio científico — não é reconhecido como consenso pela comunidade científica e nem por nenhuma instituição pública de ensino, nem mesmo por qualquer órgão do governo da área da educação. Os membros alegam publicamente que esse reconhecimento seria irrelevante para o propósito do curso que seria analisar a ciência sob um ponto-de-vista místico e aberto a suposições não-comprovadas. A "perspectiva filosófica" que supostamente enriqueceria os supostos ensinamentos científicos, na verdade são conceitos místicos que dependem exclusivamente de fé, ou seja, da pessoa aceitar ou não aquilo ensinado como verdade. O "departamento científico" é, na realidade, uma departamento de pseudo-ciência.

Nenhum suposto "estudo científico" feito na instituição é publicado externamente, reforçando a imagem misteriosa da instituição.

Não são citadas as fontes e os estudos ou experimentos científicos na maioria dos fenômenos que a instituição ensina como verdade. As explicações não têm aceitação na comunidade científica, sendo alguns argumentos considerados obsoletos, falsos ou inexistentes, por terem sido identificados como inconsistentes, tendenciosos ou simplesmente fraudulentos. A Pró-Vida no entanto clama que o conteúdo dos cursos é comprovado cientificamente, através de citações fora de contexto de cientistas conhecidos, experiências pseudocientíficas, citação de supostos “fatos” já desmascarados há muito tempo tais como:

* Fotografia Kirlian - uma técnica supostamente capaz de registrar a aura das pessoas. A existência da aura, um suposto campo energético que envolve todos os objetos e seres vivos e através do qual se poderia medir o estado espiritual e até de saúde física das pessoas, é negado pela ciência. A fotografia Kirliana, desenvolvida na União Soviética aparentemente registra apenas ionização de partículas do ar ao redor dos objetos de acordo com sua carga elétrica, o que é evidenciado por não mostrar "aura" nenhuma quando no a é tirada no vácuo. A fotografia Kirliana foi tão desacreditada que mesmo na maioria dos círculos esotéricos e místicos está descartada.

* Teorias sobre as construções do Egito, especialmente as pirâmides: teses estranhas e fantásticas sobre as antigas construções do Egito sempre existirão, mas as dentre elas aceitas e divulgadas pela Pró-Vida estão desacreditadas para todos exceto o mais reticente "piramidólatra" (ou "piramidiota", como satirizam alguns). No curso básico os monitores se recusam a esclarecer quem eles acham que construiu as pirâmides nem como, mas fica patente que eram os "poderes místicos" telecinéticos cultivados pelos antigos egípcios, como fica claro ao mostrarem a foto de uma estátua egípcia em que o faraó aparece na mesma posição ensinada como a de relaxamento nos cursos (sentado, com as palmas sobre os joelhos). O "poder das Pirâmides", uma das teorias mais características da Pró-Vida, clamando que um sólido na forma da pirâmide de Queops (em qualquer escala, com qualquer material, com um dos lados alinhado com o norte verdadeiro (e não o norte magnético)) canaliza "energias cósmicas" capazes de curar doenças, preservar alimentos, e facilitar meditação e fenômenos parapsicológicos como clarividência. É afirmado também que não se deve pegar uma pirâmide pelo topo, o que "descarregaria" sua energia. Alguns monitores chegam a afirmar que não compram lâminas de barbear por meses pois guardam os aparelhos de barbear dentro de pirâmides que, segundo eles, "realocam os átomos das lâminas metálicas".

* A explicação mais aceita (baseada na Razão de Occam , considerada parte essencial do método científico) para o fenômeno da preservação da matéria orgânica dentro das pirâmides do Egito, é uma condição encontrada em construções egípcias chamada micro-clima, onde o as condições físicas e químicas do ambiente favoreciam a conservação de material orgânico, e nada tinha a ver com o formato das pirâmides. Já foram encontrarados frutas e animais igualmente conservados em outras construções com as mais diversas formas no Egito, e que em nada lembravam uma pirâmide, porem possuíam essa condição do micro-clima em seu interior e portanto, também conservavam material orgânico. Além do mais, o clima seco do Egito propicia a conservação. É de se notar que membros da Pró-Vida afirmam poder facilmente reproduzir tal fenômeno com uma pirâmide qualquer, independente do tamanho e do material da qual é feita. Os alunos são incentivados a comerem ovos desidratados que foram consevados abertos e não estragaram pois estavam dentro das pirâmides.

* É afirmado, como uma confirmação "científica" do poder das pirâmides, que o cérebro possui células piramidais cujas proporções seriam iguais às da pirâmide de Queops. Existem de fato os neurônios piramidais, perfazendo cerca de 80% do córtex cerebral, mas tais neurônios não tem uma forma em nada similar à de uma pirâmide egípcia, variando grandemente em forma e proporções. A designação "piramidal" vem do fato de que esses neurônios possuem um gânglio superior e uma base ramificada em vários gânglios. Outra "confirmação" científica seria a presença de "cristais piramidais" em lâminas de metal que "se desalinham conforme a lâmina perde o fio", razão pela qual a Pró-Vida justifica sua afirmação de que ao ser colocada uma lâmina sem fio sob uma pirâmide, a mesma voltaria a cortar como nova, já que os tais "cristais pirâmidais" voltariam a ser alinhados pela energia da pirâmide.

Todo tipo de questionamento é desencorajado, inclusive sendo motivo de chacotas àquele que faz muitas perguntas sobre provas e métodos, sendo nesse caso sugerido ao autor das indagações que "faça menos perguntas e procure 'sentir' o conhecimento". Quando indagados sobre o embasamento científico das alegações feitas no curso, os monitores oferecem ensaiadamente frases como "A Pró-Vida só apresenta o conhecimento, não foi ela que o criou" e "A Pró-Vida te dá todo o conhecimento, cada um faz o que quer com ele".

São citados cientistas e pensadores como Sigmund Freud, Platão, Einstein e até o revolucionário francês Robespierre, porém essas citações são distorcidas para se adequar ao discurso da instituição, ou simplesmente retiradas do seu contexto original fazendo com que percam o sentido pretendido por seus autores.

Jesus Cristo é altamente reverenciado, e nas salas de palestras seu retrato fica na mesma altura do Dr. Celso Charuri, o que inclusive poderia ofender alguns cristãos. Isso parece confirmar rumores de que a Pró-Vida considera Celso Charuri como um Jesus Cristo moderno ou até uma reencarnação sua.

Todo o material disponibilizado pela instituição é permeado por termos de auto-ajuda superficiais e frases de efeito com excesso de palavras em maiúsculas.

Frases pouco claras como "Temos por PRINCÍPIO evoluir o homem, porque não acreditamos que o homem seja produto do meio, mas sim que o meio é produto do Homem. Acreditamos que o homem que é produto do meio é homem com "h" minúsculo, e um meio digno se faz com homens com "H" maiúsculo. Nós acreditamos que devemos evoluir o homem, porque a EVOLUÇÃO é a meta do universo; é medida Universal.". e "Analisados os conceitos de Vida desde o início das civilizações, verifica-se uma natural tendência do homem em procurar no TER a razão de SER. Constitui este fato uma utilização da mente parcial, incompleta, uma vez que com o objetivo de TER, esquece o homem que de seu principal objetivo, que é o de SER." são encontrados fartamente em circulares ou na própria página na internet da instituição.

Apesar da visível superficialidade, tais textos são tratados como postulados da mais alta filosofia pelos frequentadores da Pró-Vida, que consideram Celso Charuri um filósofo, apesar deste nunca ter publicado nenhum material de mínima relevância para a filosofia científica, sendo seus textos muito semelhantes (em alguns casos muito inferiores)aos dos diversos autores de auto-ajuda que se encontram no mercado e também de outras seitas esotéricas.

Dinheiro

Alguns críticos questionam as finanças da instituição, que começou com sua sede principal em um sobrado modesto no bairro luxuoso de Moema e hoje em dia ocupa uma instalação de alto custo do tamanho de um quarteirão, no Alto de Pinheiros na capital paulista, com luxuosa decoração interna e um monitor de plasma na parede, além de computadores e um piano importado.

O custo da manutenção de uma estrutura tão grande, e o contraste dessa enorme construção se comparado à humilde origem da instituição, geram especulações sobre o propósito da dita escola filosófica: se promover "a evolução do homem e Um Mundo Bem Melhor", ou o simples lucro financeiro.

Também chama a atenção o enriquecimento da viuvá de Charuri que mora na cobertura de um dos prédios mais caros do Brasil, graças ao lucro exorbitante gerado pela instituição.

Ética

A instituição procura cultivar a imagem de beneficente (principalmente propagandeando os feitos da CDG), mas omite que é uma simples atividade comercial em busca de lucro financeiro. Muitos alunos ignoram o fato de a Pró-Vida ser uma empresa e gerar dividendos a viúva de Charuri.

Na instituição são cultivados e estimulados comportamentos eticamente questionáveis, em nome do sucesso. É ensinado que "puxar o saco" do chefe, ou ser uma pessoa dissimulada (coloquialmente chamado de ser uma pessoa "falsa") são atributos positivos e desejáveis, pois representam vantagens no mundo competitivo da vida corporativa. Essa ênfase no sucesso a qualquer preço é criticada por pessoas que convivem com membros da instituição, ou mesmo ex-alunos que deixaram de acreditar na doutrina lá pregada.

Os membros da PV são estimulados a votar em candidatos a deputado que façam parte da instituição, e é comum uma rede de favorecimento entre os Pró-Vidianos.

Entrevista para ingressar na Pró-Vida


Para poder ingressar nos cursos é necessário antes fazer uma entrevista para averiguar se a pessoa estaria "preparada"[8] para a Pró-Vida e aí então, se "aprovada", poderia fazer os cursos (mediante pagamento). Caso não seja "aprovada", o entrevistador alega ao candidato que ele não está ainda "preparado" sem revelar formalmente (por escrito, por exemplo) ou de forma clara e objetiva o motivo da reprovação. Dessa forma, caso não seja considerado "preparado", o candidato não tem outra alternativa senão desistir e tentar novamente depois de um certo tempo.

Ex-membros que contestam publicamente os chamados "Princípios Absolutos" são expulsos da instituição e são proibidos de frequentá-la novamente marcados numa espécie de "lista negra" e já são barrados nessa entrevista prévia. Drogados, ex-drogados, alcoólatras, garotos de programa, prostitutas assumidas e outras pessoas socialmente excluídas geralmente não são aceitas na instituição. Em alguns casos em que a pessoa teve um passado não "justo" do ponto-de-vista das filosofias da Pró-Vida, se a pessoa se comprometer a "não cometer o mesmo erro" novamente, poderá ser considerada "preparada", de acordo com o julgamento do entrevistador, que é um membro já antigo e provavelmente possui instruções (não reveladas) sobre que tipo de pessoa poderia frequentar os cursos. Alguns ex-membros alegam que essa "peneira" já descarta pessoas que são muito críticas ou questionadoras, ou ainda pessoas com conhecimento sobre hipnose, e aprova pessoas que demonstram muito interesse em misticismo e ocultismo.

Sexualidade

Como grupo fechado que convive em um ambiente fortemente isolado do mundo exterior como o clube de campo da Pró-Vida (parentes, namorados e amigos são proibidos de entrar no clube a não ser que façam parte da instituição há um determinado tempo e tenha concluído um certo número de cursos, salvo em alguns eventos específicos), há uma série de regras de conduta no que tange a assuntos relacionados a sexualidade e sensualidade de uma maneira geral.

Esses conceitos não são defendidos e pregados pela instituição em si na forma de normas escritas, porém são valores comuns entre os membros da Pró-Vida, e disseminados exaustivamente pelos alunos mais antigos. Alunos mais velhos se encarregam de vigiar, em verdadeiras rondas, os "jovens" (muitas vezes adultos de 20, 21 anos) nas dependencias do clube de campo, para que não fiquem sozinhos com pessoas do sexo oposto em situações que poderiam participar de atividades sexuais (por exemplo nos chalés do clube, chamados de "módulos") e mesmo manifestações de afeto como beijos e abraços são coibidas, se tais atos forem praticados por pessoas não casadas entre si.

Coerentemente com a tradição dos costumes conservadores que são defendidos pela instituição, há uma diferença muito definida entre os papéis sexuais de homens e mulheres nos valores compartilhados pelos membros da Pro-Vida.

Enquanto é incentivado entre os homens que se tenha o maior número de relações sexuais possíveis antes do casamento (sob a justificativa de que têm a obrigação de serem experientes, e para não cairem na tentação do adultério depois), às mulheres é dito que devem permanecer virgens até o dia do casamento se guardando para os maridos, a virgindade sendo como um presente, ou sob a justificativa de que não transar demonstra respeito ao próprio corpo.

O assunto de uma maneira geral é abordado sempre sob uma ótica tradicionalista e conservadora, e é utilizado como principal instrumento de controle dos ímpetos dos jovens, o despertar da culpa . O discurso conservador dos membros mais velhos as vezes é opressor ao ponto de garotas que usam roupas curtas sentirem-se pressionadas a usar roupas mais tradicionais, para não serem "mal-vistas" ou mal faladas.

Nos pronunciamentos do próprio Celso Charuri sobre o tema, gravados em video, é sempre enfatizado o lado perigoso e as possíveis conseqüências nefastas de ter uma vida sexual ativa, em vez de o assunto ser abordado de uma maneira que estimule o exercício de uma sexualidade saudavel e com responsabilidade.

São citados exemplos de jovens pré-adolescentes que vinham ao seu consultório com toda sorte de problemas, de doenças sexualmente transmissíveis a gravidezes indesejadas, sempre em tom aterrador.

O efeito desses dogmas pode ser constatado em conversas com algumas meninas da Pró-Vida, que declaram participar de diversas atividades sexuais exceto o sexo vaginal, e assim se mantêm virgens para o casamento, conforme costume do grupo.

A ênfase do ensinamento acaba sendo sobre o valor de um tabu secular sem muito sentido nos dias de hoje, em detrimento de informações importantes sobre prevenção e sexo seguro que seriam muito úteis a uma geração de jovens no inicio de sua vida sexual.


Homossexualidade


A homossexualidade é abordada nos cursos da Pró-vida de maneira a caracterizar tal orientação sexual como um estágio evolutivo inferior dentro da escala proposta pela instituição. O termo utilizado oficialmente é que "o homossexual é alguém que precisa aceitar o seu verdadeiro eu", sendo tal conduta (aceitar o seu verdadeiro eu interior) um degrau essencial na busca por uma evolução.

Por ser um ambiente extremamente conservador, não se vê casais homossexuais em nenhuma dependência da instituição e o discurso anti-homossexualidade de alguns alunos é por vezes bastante agressivo, o que coíbe iniciativas de pessoas que queiram assumir sua sexualidade.

Culpa, Merecimento e Preconceito

A dualidade do tema culpa/merecimento permeia muitos dos dogmas e temas abordados em cursos da Pró-Vida.

Seguindo os moldes das religiões modernas ocidentais, o despertar da culpa serve como instrumento de controle e a busca por merecimento funciona como estímulo a uma vida virtuosa (ao contrário do que ocorre nas religiões orientais, que se estruturam em torno da honra e da vergonha.)

Então, na questão da sexualidade por exemplo, aquele que tem uma conduta considerada condenável pela instituição vive sob a ameaça do risco de doenças venéreas e gravidez prematura (que são facilmente evitáveis com o uso de preservativos), além da desaprovação do grupo.

Quanto ao aborto, a pessoa que sofreu um aborto antes de ingressar na instituição é considerada inocente por não saber das supostas implicações "cósmicas" de tal atitude. Porém aquele que após ingressar na Pró-Vida abortar, é ameaçado de sofrer duras consequências. "Estejam avisados" é o termo exato utilizado por um dos monitores da instituição.

O merecimento também é colocado de acordo com a tradição cristã: tudo aquilo que se conquista de positivo é consequencia de um merecimento julgado por uma força cósmica divina, assim como tudo que se sofre de negativo é consequencia de um não-merecimento julgado também por essa força divina, onipotente, onisciente e arbitrária.

Esse merecimento é inclusive colocado como causa única de tudo de bom e de ruim que acontece na vida das pessoas, ficando muito a frente da própria causalidade dos fatos.

Assim, segundo a instituição, se alguém ganha dinheiro e é bem sucedido, não é por causa de seu esforço e trabalho, mas sim porque "há merecimento". Seguindo a mesma lógica, se alguém passa por dificuldades financeiras e não goza de boa saúde, isso acontece porque "não há merecimento".

A dificuldade financeira ser colocada como uma mera questão de merecimento é a principal justificativa da instituição para cobrar por seus cursos, para separar "os merecedores dos não-merecedores" o que é reforçado pelo slogan encontrado nos adesivos que estampam o carro dos frequentadores, onde se lê "Se você já estiver preparado, uma força maior o levará a Pró-Vida".

Esse aspecto da instituição colaborou para o surgimento de vários movimentos e seitas que oferecem cursos como o da Pró-Vida gratuitamente.

Acusações de um estado evolutivo inferior constituem uma outra prática que visa o despertar da culpa nos freqüentadores da Pró-Vida, assim como dizer que tal pessoa é "bética" ou "macrosferenta" (que fazem parte dos neologismos cunhados pela instituição e muito presentes no discurso de seus frequentadores)

"Macrosferento" seria aquele que tem um comportamento agressivo, hostil (ver seção "Cursos Ministrados" para mais detalhes.)

Um "bético" seria alguém que opera na freqüência beta de ondas cerebrais, tida como das pessoas menos evoluídas.

Na verdade, beta é a freqüência das ondas cerebrais que predomina durante todas as atividades em que estamos acordados. Diferente da freqüência alfa, que é vista como um estado de transe onde supostamente se conseguiria ampliar a capacidade da mente e segundo os místicos possibilita que se pratique telepatia, levitação, clarividência, etc.

Segundo a ciência, o predominio de ondas alfa no cérebro durante atividades relaxantes nada mais é do que um estado de relaxamento em que, por haver menor atividade sináptica , registra-se ondas de frequências mais baixas.

Conceitos Distorcidos


São empregados na Pró-Vida artifícios que buscam conferir uma conotação cientifica ao conteúdo dos cursos, sendo um deles a citação de conceitos, fórmulas e teorias de pessoas com respaldo no meio acadêmico.

Porém, esses conceitos não são apresentados dentro do seu contexto original, sendo adaptados ou simplesmente distorcidos de modo a emprestar alguma credibilidade aos ensinamentos da instituição. Muitos deles, inclusive, de pensadores com idéias completamente opostas as teorias da Pró-Vida.

Um exemplo disso é a utilização da conhecida equação E=mc2 de Albert Einstein, apresentada como "prova" da aplicabilidade do dogma da instituição denominado "VERDADE SUPREMA ABSOLUTA A NIVEL DO CONHECIMENTO HUMANO". Tal dogma estabelece que "o poder do pensamento pode se materializar se houver VONTADE REAL e ausência de conflitos" no sentido literal, ou seja, que uma suposta energia da mente poderia se transformar em matéria palpável, e que a equação de Einstein provaria isso.

Essa afirmação tida pela Pró-Vida como absoluta e inquestionável, não encontra amparo algum da comunidade científica. Segundo o professor do Instituto de Física da USP Luiz Carlos de Menezes "É uma interpretação rastaquera da ciência. É possível transformar matéria em energia, desde que sejam observadas determinadas leis de conservação.".

Como para se obter o mesmo fenomeno alegadamente alcançado pela Pró-Vida com o "poder da mente" é necessário um acelerador de partículas de alta tecnologia com quilômetros de extensão, a credibilidade de tal alegação é bastante contestada.

Outro pensador que tem seus conceitos distorcidos é Sigmund Freud, o pai da Psicanálise, que assim como seu seguidor mais famoso Jacques Lacan, nega a existência de um Deus ou de qualquer possibilidade de existência de algo sobrenatural ou místico, que são a base primordial das teorias da Pró-Vida.

É documentado em livros como "O Futuro de uma Ilusão" e "O triunfo da religião", de Freud e Lacan respectivamente, o posicionamento de ambos com relação a organizações como a Pró-Vida, que segundo Freud são alienantes e afastam as pessoas de uma lucidez saudável, o que impossibilita o processo psicanalítico.

Ilusionismo e fé

São apresentadas na Pró-Vida diversas experiências supostamente científicas de poderes paranormais. Essas experiências não obedecem a nenhuma das condições estabelecidas pelo método científico para que um experimento seja reconhecido como válido e isento da possibilidade de fraudes. Elas também dependem de uma predisposição dos participantes a acreditar no que supostamente será demonstrado.

No curso Básico é feita uma demonstração do “aurímeter”, aparelho que supostamente mediria a aura das pessoas. O aparelho na verdade é um arame grosso preso por um eixo vertical a um cabo numa extremidade e com um peso de chumbo na outra, e cuja seção central se encontra contorcida como uma mola, o que causa uma flexibilidade especial nesta parte. O monitor fica de frente para a pessoa e começa a medir sua “aura” a partir dos pés e subindo pelos lados, a partir da linha da cintura a ponta pesada do aurímeter começa a pender para longe do corpo, especialmente perto da cabeça, o que é explicado como uma largura especial da aura no cérebro e na mente das pessoas.

O que ocorre na verdade é que a partir do momento em que o aurímeter fica na horizontal, sua ponta pesada começa a “cair”, sendo que a mola no meio do arame causa a ilusão de que a ponta está sendo empurrada com uma força especial, em vez de meramente registrando a ação da gravidade. Esse é um dos exemplos mais apontados em acusações de charlatanismo dentro da Pró-Vida.

Também no curso Básico são demonstrados três exemplos de supostos "exercícios" do poder da mente:

No primeiro, uma pessoa deve empurrar uma outra em direção a uma parede, sem o uso das mãos, com um comando mental. Fica clara a colaboração (consciente ou inconscientemente) do empurrado. Uma alternativa muito simples seria colocar a pessoa sobre uma base com rodinhas, e verificar se a mesma se movimenta sem inclinação. Essa prática é conhecida por hipnólogos de salão onde fazem simples testes como esse para verificar a predisposição de alguns elementos da platéia.

Mas isso nunca chega a ser questionado pelos participantes do curso.

No segundo, é feito um exercício de levitação onde se deve fazer levitar a mão de um colega, com o poder da mente. Novamente são descartadas as inúmeras possibilidades de auto-sugestão da pessoa com a mão sendo levitada, ou mesmo de uma colaboração consciente. Sugestões como a de que poderia-se colocar o aluno sobre uma balança são ridicularizadas. É dito ao aluno que em vez de pedir provas, procure "sentir o conhecimento".

Isso é apresentado e aceito como prova irrefutável de que é possível levitar.

Por último, é feito um exercício de clarividência, onde se deve descobrir usando o "poder da mente" uma série de informações sobre alguém, de quem é dito apenas o nome e o endereço por um colega. O aluno deve então viajar mentalmente e dizer o que vê sobre a pessoa em questão. Aparecem uma quantidade enorme de informações erradas e sem sentido, naturalmente. Mas essas são minimizadas ou distorcidas para se adaptar à "verdade" esperada pelo grupo (é visto alguém em um carro vermelho, por exemplo, mas a pessoa não tem o carro vermelho. O monitor então lança: Mas será que a pessoa não QUER um carro vermelho?) Todos respiram aliviados e aplaudem o clarividente.

As poucas e óbvias informações que se aproximam da verdade (e que contam com uma possibilidade matemática enorme de serem acertadas, como "eu vejo uma loira") são recebidas com entusiasmo pelos alunos, sedentos por uma "confirmação" de tudo que aprenderam no curso.

Segundo críticos, tal "clarividência" nada mais é que "leitura fria" técnica utilizada há anos por antigos "videntes charlatões" e demonstrada recentemente (2006) em reportagem feita pelo Programa Fantástico da Rede Globo de Televisão.


Jornalismo investigativo

Devido ao caráter misterioso da instituição e a necessidade de se conhecer o funcionamento interno, em novembro de 1996[8] foi feita uma matéria jornalística de caráter investigativo pela jornalista Dagmar Serpa que foi publicada na revista Marie Claire nº 68. Apesar de um certo teor emotivo na matéria, ela é considerada uma valiosa fonte de informação à sociedade, por ser de um ponto-de-vista externo e que relata os momentos vividos pela jornalista que tentou coletar o maior número de informações possíveis enquanto fingia estar interessada e frequentava os cursos. A jornalista se passou por uma publicitária e frequentou o curso durante duas semanas. Depoimentos com ex-membros também complementaram a reportagem.

Depois da publicação da matéria, a revista tentou ainda entrar em contato — sem sucesso — com a instituição. O máximo que conseguiu foi uma ligação com um dos diretores da época, José Antonio Demargos que foi enfático ao ser questionado: "Podem publicar o que quiserem, não damos entrevista".

Dogmas e livre-arbítrio

O livre-arbítrio é citado frequentemente em cursos iniciais e ensinamentos como algo valioso; Os membros classificam suas escolhas como legítimas e isentas, porém praticamente todos compartilham de idéias semelhantes, refletindo muitas vezes aquilo que é ensinado nas aulas.

Os chamados "Princípios Absolutos", são questões ou Dogmas, colocados pela instituição como valores inquestionáveis, tal como o direito a vida (incluindo a questão do aborto).

Temas que são tabus para os conservadores como aborto, sexo e homossexualidade, são tratados de maneira a não deixar espaço para debate. Nos cursos, é definido o "certo" e o "errado" como conceitos absolutos e inquestionáveis. O próprio nome "Princípios Absolutos" reforça essa idéia absolutista. O divórcio é reprovado, sob a alegação de que uma vez feita a escolha ela é obrigatoriamente para toda a vida. Esse é inclusive um argumento utilizado para estimular o casamento entre frequentadores da Pró-vida.

São comuns os casamentos falidos que se sustentam na base da aparência, para se adequar à expectativa da instituição e seus membros. Uma união conjugal fracassada, junto com a falta de sucesso profissional são as coisas mais temidas pelos membros da Pró-vida, e quando ocorrem são mascaradas a qualquer custo, já que seria considerado uma questão de "falta de merecimento" ou seja, que o indivíduo não alcançou um nível de evolução (sempre segundo os parâmetros da instituição) e por isso não é merecedor de gozar de sucesso matrimonial e profissional.

Divulgação


A Pró-Vida mantém um site na internet[7] onde podem ser encontradas algumas informações superficiais e de contato; promove divulgação boca-a-boca[8], ou seja, os alunos acabam levando parentes, amigos e conhecidos; e outra forma de divulgação é um adesivo de carro que identifica um aluno da Pró-Vida com um texto que desperta a curiosidade: "Se você já estiver preparado, uma força maior o levará ao Pró-Vida".

A entidade funciona como um grupo "iniciático", segundo o antropólogo José Guilherme Magnani[8], professor na Universidade de São Paulo. "É a mesma estrutura de sociedades como a Maçonaria e a Rosa-Cruz", diz Magnani. "Nessas organizações, há sempre um segredo mantido pela lealdade dos adeptos. É preciso passar por etapas para ter acesso a certas dimensões do grupo". Para conhecer o "segredo", é necessário prosseguir na iniciação. Esse tipo de mistério é uma forma de marketing que desperta a curiosidade das pessoas.

Ação Social

A Pró-Vida, através da Central Geral do Dízimo (CGD), contribui com doações para diversas instituições de caridade e auxílio social tendo realizado — segundo a própria instituição — mais 5 mil doações até junho de 2006, das quais quase 400 em 2005, para entidades beneficentes do Brasil, Guatemala, Chile, Bolívia, Paraguai, Argentina, Uruguai, Portugal, Itália, Grécia, Líbano, França, Índia, Egito, Moçambique e Madagascar.

Algumas doações são para escolas profissionalizantes feitas em conjunto com o Governo Federal, governos estaduais, municipais e com instituições privadas como o SENAI. As seguintes escolas profissionalizantes foram doadas e estão atualmente em operação:

    * Escola Técnica Estadual "Dr. Celso Charuri" de Capão Bonito, SP
    * SENAI de Cuiabá, MT
    * SENAI de Rafard, SP
    * Centro de Formação Profissional "Dr. Celso Charuri" de Pará de Minas, MG, referência no site da prefeitura
    * SENAI de Sumaré, SP (Região de Campinas)

Central Geral do Dízimo

A arrecadação de fundos é feita através da Central Geral do Dízimo (CGD), uma instituição filantrópica ligada à Pró-Vida com o objetivo de atendimento a entidades beneficentes. Essa central arrecada seus recursos através de depósitos anônimos que provavelmente são feitos pelos alunos da Pró-Vida. Essa Central Geral do Dizimo se auto-define por: "É, em resumo, o ato manifestado, ou seja, a ação que é própria do Homem integrado cosmicamente. Em outras palavras, é o privilégio de Ser nas mãos de quem Dá".[7], sendo esta uma definição que para alguns é pouco objetiva e que, segundo os membros, tentaria explicar o benefício pessoal obtido por quem faz as doações.

O "dízimo"[10] é o incentivo à doação anônima não-obrigatória de 10% dos rendimentos dos membros à instituição. Os recursos arrecadados pela Central Geral do Dízimo são - segundo a própria instituição - integralmente doados à instituições beneficentes.

Toda a infra-estrutura utilizada pela Central Geral do Dízimo é mantida com recursos da Pró-Vida. A instituição alega que todo o trabalho realizado é feito de forma voluntária e não-remunerada. A Central Geral do Dízimo é totalmente isenta de impostos por ser considerada uma instituição beneficente com reconhecimento nas instâncias municipal, estadual, e federal.

A contabilidade da Central Geral do Dízimo é anualmente auditada pela Deloitte Touche Tohmatsu e o parecer da auditoria é publicado em mural da associação e no seu site interno para consulta dos alunos, professores e membros. Alguns diretores e funcionários da empresa de auditoria Deloitte Touche Tohmatsu são membros da Pró-Vida.

Segundo regras da própria instituição, "as entidades atendidas pela Central Geral do Dízimo são previamente analisadas e devem ser notoriamente idôneas e regulamentadas junto aos órgãos competentes".

Manutenção das sedes

A arrecadação de fundos para manutenção das sedes, em especial a sede principal localizada no bairro de Pinheiros, um bairro de alto-padrão aquisitivo na capital paulista, é feita exclusivamente através dos cursos ministrados. É informado aos alunos que os trabalhos realizados nas sedes da instituição, desde a secretaria até os instrutores dos cursos e a diretoria são feitos de forma voluntária sem qualquer tipo de remuneração financeira.

Parte da renda dos cursos se destina a viúva do fundador que recebe um Pro Labore da instituição; essa informação não é divulgada aos alunos mais novos, porém é confirmada por membros mais antigos da PV.

Clube de campo


O clube de campo é uma empresa financeiramente independente e declarada sem fins lucrativos. Todos os recursos arrecadados através das taxas de manutenção são, por lei, aplicados para conservação e aprimoramento das instalações do clube de campo.

Alguns alunos adquirem títulos que dão direito ao uso de um chalé chamado de "módulo", reembolsável em caso de desistência de participação no clube. No passado, houve casos em que ex-membros se empenharam em batalhas judiciais para reaver seus recursos.[8] — Aparentemente a aquisição de um "módulo" é, na verdade, a aquisição de uma autorização de "direito de uso" e está vinculada a permanência do aluno à instituição. — Ao obter o "módulo", o membro é encorajado a assinar um contrato chamado de "documento comum de doação". Muitas vezes, o membro assina sem mesmo saber do que se trata. Alguns advogados envolvidos nesses casos dos "módulos" afirmam que esse tipo de contrato é ilegal.

Dissidências

Através dos anos, membros da Pró-Vida se desentenderam com a instituição e criaram uma série de movimentos de dissidência, oferencendo cursos similares aos da Pró-Vida, algumas vezes de graça. As principais dissidências são:

    * Essânia em São Bernardo do Campo
    * Núcleo em São Paulo
    * Eli-Ipsa em São Paulo
    * Fraternidade Saint-Germain em São Paulo
    * Academia Filosófica Cristã em Ribeirão Preto


Referências

   1. ? Exemplo de uma crítica aberta sob o ponto de vista cristão-evangélico à Pró-Vida pelo Centro Apologético Cristão de Pesquisas (CACP)
   2. ? 2,0 2,1 efêmero = passageiro, que dura pouco
   3. ? inexoravelmente = de forma cruel ou implacável
   4. ? "Princípios Absolutos", no contexto da Pró-Vida, significa seus dogmas e doutrinas. O termo é possivelmente originado de "dignitates dei" de Ramon Llull; termo ligado à Deus, ao "Deus único"; significando algo como "Princípios Absolutos [Da Obra De Deus]", com origem na filosofia agostiniana, também presente no cristianismo, judaísmo e islamismo. fonte: Diálogo inter-religioso ‘real ou aparente’ durante a Idade Média hispânica: Ramon Llull (1232-1316)
   5. ? Provavelmente uma referência bíblica (evidentemtente não-declarada) em diversas partes do Novo Testamento sobre "morrer na carne e nascer no espírito", entre elas: João 3:6 "O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito."; João 6:63 "O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida."; Romanos 8:6 "Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz."; Romanos 8:8 "e os que estão na carne não podem agradar a Deus."; Romanos 8:13 "porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis."; 1 Pedro 3:18 "Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito;"; 1 Pedro 4:1 "Ora pois, já que Cristo padeceu na carne, armai-vos também vós deste mesmo pensamento; porque aquele que padeceu na carne já cessou do pecado;" - Versão bíblica: Almeida Atualizada, Almeida Revista e Atualizada.
   6. ? "Espírito, Eterno"possivelmente é uma referência ao Espírito Santo ou Deus
   7. ? 7,0 7,1 7,2 7,3 7,4 Fonte: site oficial: http://www.provida.org.br/ (veja também uma imagem igual ao adesivo em: [1])
   8. ? 8,0 8,1 8,2 8,3 8,4 8,5 Informação obtida através de uma reportagem investigativa de Dagmar Serpa à revista Marie Claire nº 68, novembro de 1996. (ver reportagem na íntegra)
   9. ? Isso pode ser confirmado com uma simples ligação para a sede principal: +55 (11) 2185-9000 em horário comercial
  10. ? Dízimo - Conceito de doação da décima parte, como ocorre nas igrejas evangélicas.


Fonte: http://www.uniblog.com.br/oranzinza/221112/o-charlatanismo-do-pro-vida.html

116 Comments:

  1. etognotti said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Paulo Costa said...
    Primeiramente, parabéns pelo texto muito bem fundamentado. Está claro que realizou ampla pesquisa antes de escrever o primeiro parágrafo. Infelizmente, muitas idéias nobres acabam sendo distorcidas ao longo do tempo por pessoas que tentam interpretar o pensamento de outrem (haja visto as várias interpretações dadas as passagens bíblicas).
    Nesse contexto, acho sempre pertinente o constante estudo das mais diversas proposições com olhar crítico, porém respeitoso.
    Na minha humilde opinião, a PV prove algumas técnicas interessantes de desenvolvimento mental, porém compactuo com alguns pontos citado pelo autor. Se pedirem minha opinião, recomendo o estudo das técnicas, mas em relação a tornar-se membro, é decisão de cada um.
    Mariana said...
    Sinceramente, essa crítica destrutiva em nada é convincente. No mínimo, as pessoas que compactuaram para criação desse blog para falar mal de uma intituição, são pessoas fúteis, sem Deus no coração e que acreditam que tudo que faz e diz é o certo. Devem ser pessoas mediocres e pobres de espírito. Realmente, as pessoas no pró-vida se auto seleciona, e ninguém é obriga a fazer o curso. O que leva as pessoas irem lá, é para se tornarem pessoas melhores, buscar uma forma de enxergar um mundo de outra maneira e evoluir como ser humano estando ciente da capacidade mental que todos possuímos. É uma pobreza de espírito sem tamanho, perder um valioso tempo para criticar negativamente algo.
    klaus25 said...
    O Pior cego é aquele que não quer ver. Sejamos simples. Não vamos falar de técnicas; mais de coisas que acontecem por culpa desta maldita seita. Pessoas que deixam lazer...familia...responsabilidades profissionais..enfim deixam tudo de lado..tudo mesmo..por ausa de merda de pró vida, e ainda pagam por isso..Acho até que não são culpadas...afinal o ser humano é muito bobinho e fragil..imaginem então diante da lavagem cerebral que esses ditos monitores ¨canalhas¨ fazem nos chamados ditos alunos...alunos que se tornam refens....Parabens pelo artigo
    ocupe-se em dar said...
    INFELIZMENTE VCS AINDA Ñ CONSEGUEM RECONHECER ALGO MAIOR QUE SUAS PRÓPRIAS VERDADES.
    JÁ PARARAM PRÁ REFLETIR QUE AQUELE QUE NEGA APENAS ESTÁ REFORÇANDO A EXISTÊNCIA?
    MAS Ñ SE PREOCUPEM; CEDO OU TARDE RECONHECERÃO UMA VERDADE MUITO MAIOR. Ñ ENTENDERAM? TD BEM... MAS MESMO ASSIM: ATÉ BREVE!!!
    Pensadora said...
    Pessoal
    Frequento essa instituição, que de nada tem de seita, mas sim, um curso de auto-conhecimento. Tem mais carater cientifico que religioso.
    E também, muitas coisas que eles tão dizendo nesse post, por experiência própria, não existe!
    Infelismente, pelo que me parece, eles criticam algo, sem conhecer. Daí perdem o crédito...
    Faço o curso no essânia, estou super feliz. Me sinto mais forte e aprendi a controlar mais minhas emoções.
    Resumo esse curso como UMA AULA DE FÉ, CRENÇA EM NOSSO PODER TRANSFORMADOR!
    Vale muuuuitooo a pena esse curso!
    A maldade esta nos olhos de quem vê!
    Marcos said...
    A Pró-Vida não é uma escola filosófica propriamente dita. Ao menos, os princípios científicos traduzidos pela filosofia não são respeitados. A Pró-Vida é uma sociedade de caráter exotérico e uma das muitas manifestações do movimento Nova Era. A tese de mestrado de um psicólogo da USP, que inclusive está disponibilizada neste Blog dá conta de aspectos (negativos) muito interessantes da Pró-Vida.
    Pessoalmente, não acredito em nada do que eles pregam e, infelizmente, muitas pessoas que conheci e que fazem parte do movimento são extremamente preconceituosas; não têm o mínimo espírito científico que orienta para o questionamento e insistem em hipotetizar uma superioridade intelectual que, às vezes, dá nojo.
    Entendo a Pró-Vida como um movimento da socidade capitalista, que segrega, divide e infla o ego de pessoas para que pratique, ainda que sem querer, o desejo de dominação. Essa coisa toda de divisões celestiais, hierarquias e tudo mais se assemelha a uma fábrica, uma indústria, onde cada qual exerce funções nas relações de trabalho. Em franca suma, a Pró-Vida é uma forma de apego (de gosto duvidoso) desta vida e uma manifestação preconceituosa fruto da precariedade dos sentimentos oriundos da condição humana neste século. O que poderiamos dizer sobre Madame Blavatsky (uma das idealizadoras da Nova Era) e de todas as discussões irracionais nas comunidades do Orkut, onde pensam muito mais em manter seus segredos não por motivos científicos, mas por questões de ego. Infelizmente, esse tipo de postura está aí. Temos pesquisas científicas sobre o assunto, teses, matérias jornalísticas e tudo. Acho válido todo e qualquer questionamento a respeito do assunto, ainda que, indiretamente, resulte críticas de posturas.
    Abraçõs a todos.
    Marcos Alves de Souza. Advogado e antropólogo.
    Drakkon said...
    Respeito todas as críticas feitas ao Pro-Vida. Porém, gostaria de fazer algumas perguntas aos Antropologos, cientistas, doutores e PhD's no assunto:

    - Vocês são felizes ?!
    - Sabem de onde vieram ?!
    - Sabem quem são ?!
    - Sabem para onde vão ?! Se é que vão ?

    Respostas objetivas e, se conseguirem, científicas serão muito bem vindas. Obrigado.
    swedenborg said...
    Certo Drakkon, que tal você primeiro nos dar as respostas "científicas" da pró-vida para estas questões.Aguardo ansiosamente.Ah, sim.Também me esclareça a diferença entre ciência e metafísica para você, o que é essencial para responder as questões que propõe.
    klaus25 said...
    Aqueles que dizem que a gente não conhece essa merda ai. Eu conheço sim...essa porcaria. mas Deus me deu forças e me livrei dessa coisa ai..essa seita maldita...!
    Marcos said...
    "- Vocês são felizes ?!
    - Sabem de onde vieram ?!
    - Sabem quem são ?!
    - Sabem para onde vão ?! Se é que vão ?"

    Penso que a felicidade se resume em momentos. Momentos felizes. A forma pela qual ela é apregoada pela Pró-Vida, ao que tudo indica, dá ensejo a utopias.
    Ninguém sabe ao certo de onde vem ou para aonde vai ou quem é.
    Isso tudo, evidentemente, depende da Fé.
    A Fé - Creio em Deus por um um imperativo moral; um Imperativo Categórico. Ignorar todas essas questões existenciais, no mínimo, redunda mente precária, porque se não fossem importantes, ninquém falaria tanto. O que sou contra é a imposição de caminhos como a Pró-Vida faz; o desrespeito ao gay, aos viciados, e todos os segregados da sociedade; os que, como chamam mesmo aqueles que não entedem o que a Pró-Vida prega? Qual o termo que eles usam mesmo, alguém poderia me ajudar? Nada a ver com ciência. Nossa mente não está preparada para entender racionalmente ou lógicamente o que empiricamente não pode ser percebido.
    Acredita-se por Fé; não Ciência.
    A própria Igreja Católica questiona alguns milagre e busca explicações antes de aceitá-los como milagre. Isto sim é bem racional. Mas dizer que se tem o poder de tirar carros de frente de uma churrascaria é muito feio!
    Marcos said...
    E existe um outro problema ainda mais grave. A Pró-Vida prega o ser para o ter. "Tenha boa mente ou seja poderoso mentalmente, que você poderá ter um Civic ou Corolla".
    Toda essa interiorização mística presta para angariar bens e o desfile de carros nos estacionamentos de uma unidade que conheço próxima a Bauru-SP só se compara com o desfile de egos dos participantes, para ver quem é mais "Power Mental" e quem consegue primeiro o Golf dos seus sonhos! E nós, pobres mortais, atrasados, macacos mau evoluídos temos de nos limitar a criticar. Eu prefiro.
    Marcos said...
    E, por favor, me permitam somente mais um comentário: Rene Descartes, conhecido filósofo francês considerado o pai da filosofia moderna, preceituava (muito embora com boas intenções) a separação do corpo e da alma. É autor de livros muito interessantes, dentre os quais Discurso do Método e Meditações. Infelizmente, foi interpretado limitadamente e seu preceito, até hoje, tem sido usado perniciosamente pela Pró-Vida, porque separam o corpo e a alma. Gente, o homem não é corpo e alma. O homem é virtude. A herança cartesiana tem sido utilizada como bases para discussões místicas. Podem perceber as comunidades no Orkut: Amigos do Mundo Bem Melhor e Amigos da Pró-Mente. As interpretações pretensamente filosóficas e sem um mínimo probatório que os membros dessas comunidades usam para discutir e, no mais das vezes, ofenderem-se mutuamente (porque discutem muito e vislumbra-se até mesmo baixaria)dão conta de alguns fenômenos interessantes para sociólogos e psicanalistas estudare, além, é claro, dos filófosos.
    Rafael Leite said...
    UMA PERGUNTA AO AUTOR DO BLOG: VOCÊ É FELIZ? SE SUA RESPOSTA FOR SIM, OK, VOCÊ ESTÁ NO CAMINHO. SE FOR NÃO, LHE FALTA ALGO. AGORA, NÃO RESPONDA A MIM, RESPONDA A VOCÊ MESMO.

    PRÓ-VIDA, SEM PRÓ-VIDA, QUALQUER CAMINHO... ELE VAI SER VERDADEIRO PARA VOCÊ SE LHE TROUXER FELICIDADE. SE NÃO TROUXER, PODE BUSCAR OUTRO CAMINHO, MAS LARGUE A PEDRA, NÃO OLHE PARA TRÁS. O SOFRIMENTO VEM QUANDO A PESSOA SE PRENDE AO PASSADO. ACUSAR E CONDENAR ALGO EM QUE NÃO SE ACREDITA NÃO TRAZ A FELICIDADE, MAS SIM SEGUIR O QUE SE ACREDITA, ISSO VAI LHE TRAZER A FELICIDADE.

    O CAMINHO É SE DESPRENDER MEU AMIGO. SE NÃO GOSTOU DA PRÓ-VIDA, ESPERO QUE UM DIA VOCÊ SE ENCONTRE DE OUTRA FORMA.

    AS PESSOAS QUE FICAM NA PRÓ-VIDA SÃO FELIZES. LÁ É UM LUGAR PARA GENTE QUE QUER UM MUNDO MELHOR. ASSIM COMO TANTOS OUTROS GRUPOS QUE FAZEM O MESMO NO MUNDO. ENCONTRE O SEU E SEJA FELIZ.
    jose said...
    os seus comentários, são perigosos porque uma coisa é você atacar a pro vida quanto instituição, pode ser sim contestada, faz parte esses tais contestamentos, mais é extremamente repudiante os ataques serem direcionado ao idealizador da casa, o ordenador de tal conhecimento, ele deve ser respeitado, por ser um grande homem!!!
    IzaP.Reys said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    IzaP.Reys said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    IzaP.Reys said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    IzaP.Reys said...
    Quero fazer alguns comentários e alguns questionamentos que me levaram, um dia, a me afastar definitivamente da Pro=Vida. Fiz o Curso Básico em Novembro de 1990. O Avançado I em Fev. de 1991. Pois bem. Sentia-me muito bem durante os cursos. Lá dentro. Porém... Fora dos cursos, comecei a me sentir especial, supeior aos outros,às vezes, causando brigas com pessoas da minha família. Mas, na época, eu estava literalmente fascinada pela Pro=vida! Não admitia quaisquer questionamentos a respeito. Para mim, era uma instituição infalível e perfeita!!!! Eu não encontrava pessoas do meu círuclo de relacionamentos que compreendiam tão profundamente como eu compreendia os conceitos abordados lá dentro. E ficava na espectativa de encontrar as respostas certas para o sofrer da Humanidade. Sou psicóloga, e, na época, procurava algo a mais em minha vida. Aprofudar meus conhecimentos da Espiritualidade.Saía das aulas do Básico tremendamente fascinada, em transe. Às vezes, eu pensava: Meu Deus, será possível se viver sempre assim, nesse estado alfa, no meu cotidiano?? Eu simplesmente não conseguia!
    IzaP.Reys said...
    Também questionava o tal do "virar as costas" para quem me tivesse ofendido mais que um número x de vezes.Ficava confusa e pensava: Mas... Jesus não disse para se perdoar 70 vezes sete, ou seja: sempre?? será que devo seguir Celso Charuri ou Jesus Cristo? Será esse dr. Maior que Ele, Jesus? Bom,parei de fazer os cursos da Pro=Vida, primeiro porque comecei a ver que eles eram muito difíceis de serem pagos por mim, na época. Era solteira, ganhava mal, não pertencia a nenhuma família tradicional da minha cidade natal, mas uma família de classe média. e, a maioria , a grande maioria dos frequentadores dos cursos da Pro=vida continham pessoas da alta sociedade dda cidade que eu nasci e morava, São Carlos-SP. E os monitores faziam uma coisa que não gostei, na época: eles tartavam algumas pessoas da platéia diferentemente , eu não entendia a princípio o porquê. Eu só sabia que eram pessoas muito ricas, da cidade, pois eu as conhecia e conhecia até a história de vida de algumas delas. Eram pessoas muito ricas, mesmo!e pensava: por que isso? só porque não sou rica como eles, não sou tão bem tratada assim, nos cursos? Com tanta gentilezas e tanta atenção? Depois, no curso Avançado I, eu já não estava tão fascinada com os cursos.Depois de ficar tentando alguns meses levitar em meu quarto, usar uma pirâmide em minha cabeça , com minha mãe brigando comigo a toda hora-e ter sido muito mal recebi na sede da Pro=vida de Pinheiros, só porque naquele dia eu estava sem meu RG, e não pude entrar para pedir ajuda , ouvir uma palavra de consolo para o meu sofrimento, na época, pois estava com depressão pós-parto, confesso que toda aquela admiração, aquele fascínio foram por água abaixo! Vi que eu estava lidando com pessoas , e que pessoas tem seus defeitos, achei que ninguém lá dentro ia ser caridoso comigo , como eu imaginava que els fossem...Bem, aí eu desisit , mesmo! Sofri um pouco com a decepção, mas Jesus me acolheu, encontrei muitas explicações que procura em Kardes e nos livros de André Luiz e Emmanuel, que leio e estudo até hoje!Hoje, sou Espírita, ou seja, cristã, onde aprendo muito sobre o perdão, as leis de causa e efeito, a força de nossos pensamentos em nossas vidas, a importância de se fazer uma reforma íntima, da extinção do orgulho e do egoísmo pessoal,sem pagar nada por isso! A caridade é feita, sim, pela Pro=Vida, mas também pela Igreja Católica, Evangélica,Ongs, etc, etc...Não digo que, na época, a Pro=Vida não me ajudou em nada! Mas ficou para trás em minha vida, porque eu não me acho, hoje, no direito de me achar supeior a ninguém, mesmo porque, não devemos julgar a ninguém, e, na época que fazia os cursos , estava me sentindo superior a muita gente!Ah! Quanta presunção, a minha! Tenho aprendido muito com o Espiritismo, em minha vida, que é, para mim, a melhor maneira de compreender a nós- seres humanos ainda imperfeitos, mas com muitas possibilidades de evoluir com as duas coisas mais preicosas deste mundo: o amor e a caridade! Paz e Luz a todos!
    IzaP.Reys said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    IzaP.Reys said...
    Errata: onde está kardes, leia-se Kardek.
    Marcos said...
    Pessoal, por favor, alguém poderia me ajudar? Como a Pró-Vida chama os que não participam do movimento? Profanos? Alguém poderia me auxiliar?
    Marcos said...
    Pessoal, por favor, alguém poderia me ajudar? Como o movimento Pró-Vida denomina os que estão do lado de fora? Eles nos chamam de Profanos?
    klaus25 said...
    Iza, li todo seu depoimento , achei fantastico, e vc ainda foi relamente muito educada e sutil, coisas que eu não consigo er e nem ser com esse povinho da pro vida.
    Ah aqui deixo tbem um questionamento aos zés manés que gostam dessa seita maldita.
    Quem sera que vai consguir desfilar primeiro com um golf 2011, quem sera? thcan tan tan tchan....
    equilibriun said...
    Você tem todo o direito de questionar,para que não seja um fanático.Mas não negue o mérito do idealizador e fundador,pois esse é um Grande Homem!Busque complacencia. "PAZ NA TERRA AOS HOMENS DE BOA VONTADE."
    luciana said...
    Fiz o mesmo curso (idêntico) do Pró Vida em São Bernardo do Campo, aqui se chama Essânia, é totalmente gratuito, tenho conhecimento de outros locais que dão o curso sem cobrar, parei enquanto estava na Preceptoria, não faço críticas, porém o motivo que me fez parar além de ter muitas dúvidas eu não me sentir parte, ou seja, eu me cobrava muito por não me dedicar tanto quanto devia.
    luciana said...
    Fiz o mesmo curso (idêntico) do Pró Vida em São Bernardo do Campo, aqui se chama Essânia, é totalmente gratuito, tenho conhecimento de outros locais que dão o curso sem cobrar, parei enquanto estava na Preceptoria, não faço críticas, porém o motivo que me fez parar além de ter muitas dúvidas eu não me sentir parte, ou seja, eu me cobrava muito por não me dedicar tanto quanto devia.
    Rafael said...
    Pessoal, a muito venho procurando respostas sobre o PV, e sempre me deparo com poucas informaçãoes.
    Uma amiga faz parte e me convidou a muito tempo, disse que era a minha cara que eu iria dar certo e etc...
    Sou criado em uma igreja evangélica desde os meus 11 anos e cheguei a estudar teologia em uma faculdade em BH, mas o principal ensinamento que meus professores, líderes ou pastores de igreja me deram foi: "procure sempre a verdade e coerência nas coisas que lhe são ditas, nem sempre a pessoa que está em cima de um púlpito ou na frente de uma sala tem a verdade suprema" e trago isso até hoje comigo.
    Essa amiga foi quem me apresentou minha ex companheira com quem eu tenho um filho.
    Ela sempre nos convidou e por várias vezes eu tentava questioná-la sobre os princípios e ensinamentos da PV e ela me dizia que eu teria que ir pra ver o que eu queria saber.
    Como já falei fui atrás de pesquisas e matérias e decidi baseado no que li a respeito vi que se tratava de ocultismo e um ensinamento com pouco embasamento teórico e prático, algo muito obscuro.
    Porque tenho que estar preparado? pq eu com minhas pernas não posso decidir entrar na sede deles e assistir a uma palestra sem pagamentos? sem precisar pagar! se é bom pq não dão de graça?
    Depois de decidir não participar, minha ex decidiu que iria, eu expliquei o que eu tinha estudado sobre o assunto e a mesma me disse que não tinha nada a ver e que iria.
    Passado o tempo me deparei várias vezes com meu filho recém nascido chorando de cólica em cima da cama e a mesma com as mão sobre a sua cabeça por alguns minutos e ele continuando chorando, peguei meu filho no colo, encostei em meu corpo, pedia Deus que o ajudasse a dormir pq era tarde e depois de muito choro a barriguinha esquentou e ele conseguiu dormir. Fora as inúmeras brigas que já aconteciam e se tornaram piores e mais intensas.
    Eu decidi por continuar a minha caminhada sem ela, pois não iria ficar com alguém que se achava superior aos outros, inclusive a mim!
    Até nossas relações sexuais foram afetadas.
    Ainda sinto muito pelo ocorrido e sofri por muito tempo com a falta dela.
    E o pior sei que se ela tivesse me ouvido teria sido muito diferente.
    Aos frequentadores da PV lanço um desafio! criem um grupo de estudo sobre os ensinamentos a vcs administrados, façam perguntas aos seus preceptores, professores, líderes, e não aceitem as respostas prontas, digam que vcs estão sentindo, mas que vcs querem saber de onde vem tel ensinamento, tal frase... etc.
    E antes que me façam a mesma pergunta, eu fiz e faço isso o tempo todo na minha vida, e é por isso que abomino a teologia da prosperidade (dar dinheiro pra receber de Deus), côrte e outras doutrinas mais ensinadas em algumas igrejas evangélicas.

    Paz a todos!

    Obs: Muito completa e informativa a sua matéria!
    Rafael said...
    Pessoal, a muito venho procurando respostas sobre o PV, e sempre me deparo com poucas informaçãoes.
    Uma amiga faz parte e me convidou a muito tempo, disse que era a minha cara que eu iria dar certo e etc...
    Sou criado em uma igreja evangélica desde os meus 11 anos e cheguei a estudar teologia em uma faculdade em BH, mas o principal ensinamento que meus professores, líderes ou pastores de igreja me deram foi: "procure sempre a verdade e coerência nas coisas que lhe são ditas, nem sempre a pessoa que está em cima de um púlpito ou na frente de uma sala tem a verdade suprema" e trago isso até hoje comigo.
    Essa amiga foi quem me apresentou minha ex companheira com quem eu tenho um filho.
    Ela sempre nos convidou e por várias vezes eu tentava questioná-la sobre os princípios e ensinamentos da PV e ela me dizia que eu teria que ir pra ver o que eu queria saber.
    Como já falei fui atrás de pesquisas e matérias e decidi baseado no que li a respeito vi que se tratava de ocultismo e um ensinamento com pouco embasamento teórico e prático, algo muito obscuro.
    Porque tenho que estar preparado? pq eu com minhas pernas não posso decidir entrar na sede deles e assistir a uma palestra sem pagamentos? sem precisar pagar! se é bom pq não dão de graça?
    Depois de decidir não participar, minha ex decidiu que iria, eu expliquei o que eu tinha estudado sobre o assunto e a mesma me disse que não tinha nada a ver e que iria.
    Passado o tempo me deparei várias vezes com meu filho recém nascido chorando de cólica em cima da cama e a mesma com as mão sobre a sua cabeça por alguns minutos e ele continuando chorando, peguei meu filho no colo, encostei em meu corpo, pedia Deus que o ajudasse a dormir pq era tarde e depois de muito choro a barriguinha esquentou e ele conseguiu dormir. Fora as inúmeras brigas que já aconteciam e se tornaram piores e mais intensas.
    Eu decidi por continuar a minha caminhada sem ela, pois não iria ficar com alguém que se achava superior aos outros, inclusive a mim!
    Até nossas relações sexuais foram afetadas.
    Ainda sinto muito pelo ocorrido e sofri por muito tempo com a falta dela.
    E o pior sei que se ela tivesse me ouvido teria sido muito diferente.
    Aos frequentadores da PV lanço um desafio! criem um grupo de estudo sobre os ensinamentos a vcs administrados, façam perguntas aos seus preceptores, professores, líderes, e não aceitem as respostas prontas, digam que vcs estão sentindo, mas que vcs querem saber de onde vem tel ensinamento, tal frase... etc.
    E antes que me façam a mesma pergunta, eu fiz e faço isso o tempo todo na minha vida, e é por isso que abomino a teologia da prosperidade (dar dinheiro pra receber de Deus), côrte e outras doutrinas mais ensinadas em algumas igrejas evangélicas.

    Paz a todos!

    Obs: Muito completa e informativa a sua matéria!
    Marcos said...
    Já ouvi muitas reclamações como a sua, Rafael. Inúmeras pessoas relatam abusos, destemperança de membros da Pró-Vida, etc. O fanatismo messiânico é parte da jogada de marketing da instituição, que necessita cada vez mais de adeptos. Considero perturbador esse movimento e todas as pessoas que têm um tom crítico deve expressar, porque muitos que cursam a Pró-Vida acabam se deparando, ao final, como produtos de um processo de alienação pernicioso e que pode levar à perda de bens.
    rodrigo said...
    Olá a todos. o código penal define em seu artigo 171 e 173 diz o seguinte:

    Do Estelionato e Outras Fraudes

    Estelionato

    Art. 171 - Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento:

    Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, e multa.




    Abuso de Incapazes

    Art. 173 - Abusar, em proveito próprio ou alheio, de necessidade, paixão ou inexperiência de menor, ou da alienação ou debilidade mental de outrem, induzindo qualquer deles à prática de ato suscetível de produzir efeito jurídico, em prejuízo próprio ou de terceiro:

    Pena - reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa.

    Certas pessoas tem VOCAÇÃO PARA SEREM FEITAS DE BOBAS. Pessoas normalmente boas as quais devemos ajudar e alertar. A melhor forma de ajudarmos é fazendo propaganda de todas estas PALHAÇADAS e histórias pra boi dormir "ensinadas" por esta seitazinha fétida entitulada pró vida.

    Cadeia para os "Homens Superiores" = Charlatões do Universo.
    Rafael said...
    Eu considero o seguinte! nós não devemos expressar ódio, ira ou ofensas, mas sim demonstrar através de testemunho, converssas, matérias, estudos e tudo que estiver em mãos que isso não passa de um engano! Por exemplo, vcs sabiam que é bem capaz que não haja pessoas que chegaram ao nível maior dentro do pró vida? lendo uma tese de mestrado que está disponível para download, (imperdível) descobri que só o próprio fundador "pode" (isso mesmo) ter alcançado o nível mais alto (9 se não me engano), e não se sabe se existe um substituto para o mesmo, ou até pessoas capazes de ministrar os níveis mais altos do curso! Chega a ser engraçado! o cara morreu e ficou por isso mesmo!!
    Triste!!
    Fico eu pensando! se essa seita não existisse, talvez hoje eu estaria criando meu filho de perto, ao lado da pessoa que amo (ainda)!
    Marcos said...
    Você foi na veia, Rafael!!!
    arthur said...
    eu fiz parte de uma outra escola que era uma irmã pobre da pró, chamada Essania, mas com as mesmas finalidades, com a desculpa inicial de que não se cobra e nos cursos mais avançados as pessoas perdem até a alma, que dirá a casa, o carro, etc, o C. C. não é um filósofo, que dirá um mestre, somente copiou e juntou as teorias de vários outros pensadores, pasmem muito do que ele diz nos cursos antes que ele foi compilado pelo padre quevedo
    Alcides said...
    Primeiramente, gostaria de saber se o autor participou de reuniòes do pró-vida, porque se basear apenas em segundos e terceiros, podem gerar informações distorcidas, como algumas histórias distorcidas citadas pelo autor.Desde que eu entrei no grupo não senti nenhuma forma de imposição de valores morais ou conservadores.
    A instituição propõe algo novo e alternativo e obviamente é renegada pela academia cientista tradicional.Se o autor se diz contra aos ditos valores tradicionais e conservadores, porque tanto ceticismo e preconceito com a ciência que se permeia por caminhos mais alternativos? Será que você não estaria sendo conservador, afirmando que ciência se faz somente pelos metodos tradicionais? aliás, a palavra tradição não está de certa forma ligado ao conservadorismo?
    O autor, através desse artigo faz declarações, através de depoimentos de pessoas descontentes ou que não entenderam a mensagem passada, de que a instituição então seria mentirosa, mas o que é a verdade? quem distorce verdadeiramente os fatos a pró-vida, ou muitos veículos de informações midiáticos que busca a alienação, da população, para que o status quo ainda seja mantido? Vejo que o pró vida tenta fazer com que pensamos diferente e por isso, aqueles que fazem parte do grupo são julgados como diferentes, fora do contexto mundial entre outras coisas.
    Em relação as entrevistas, pelo que eu me lembre eu não fui condicionado a nada e nem tenho visões completamente místicas e por isso fui aceito. A entrevistadora constatou se eu realmente estava interessado em participar e se eu não estava sendo obrigado, pois muitas pessoas são obrigadas, por pais, parentes, namorados dentre outros a participar.
    Durante os cursos fiz várias perguntas e indagações e fui respondido com respostas satisfatórias.
    Não senti a posição discriminatória aos lgbtt(lesbiscas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), inclusive, aqui em Presidente Prudente onde eu moro, existe uma casa de apoio a esse ''grupo'' onde são distribuidos camisinhas, folhetos sobre DSTS,orientações dentre outras coisas, apoiada e mantida pela pró-vida, o que desmente também a informaçào sobre a posição contra a atividade sexual ativa saudável.
    Enfim, para não ficar grande em demasia meu texto, reforço que o Pró-vida, apenas tem a intenção de mostrar um outro lado do mundo e que esse mundo pode ser mais agradável, mais feliz e de uma certa forma melhor. Ela não obriga ninguem a nada e o ambiente é o mais agradavel possível, porque o respeito ao próximo é claro e bem difundido.
    A fé é passada pelo autor como algo místico e negativo, mas na verdade é a fé que move o mundo. O que seria do mundo sem fé? Até Einstein tinha fé e acreditava em Deus.
    Para finalisar, sou Alcides de Castro Neto, sou um Pró-vida, não serei radical a ponto de dizer que são fúteis, burros,e etc.. aqueles que maldizem, xigam ou denominam o Pró vida de seita, apenas digo que são ignorantes, ou seja, não tem o conhecimento sobre, sem encarar esta palavra de modo pejorativo, e os convido a conhecer(sobretudo o autor) e a se juntar a nós, afinal queremos que todos desfrutem do conhecimento, como nós e quanto mais pessoas querendo o mundo melhor, mais evoluídos seremos.
    Uma abraço, paz e felicidade para todos.
    Juli said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Juli said...
    Olha, eh uma pena saber que no mundo ainda existem pessoas que perdem um VALIOSO TEMPO de sua vida, escrevendo coisas em um Bolg, criticando uma instituiçao que eu nem conheço, mas por tudo o que vejo no Blog, deve ser bem séria e justa.

    Esse VALIOSO TEMPO PERDIDO escrevendo uma porcaria de matéria, PORQUE PARA MIM QUEM TEM FAZ CRITICAS NADA CONSTRUTIVAS, FAZ APENAS PORCARIA, podeira ter sido utilizado ajudando ao próximo, dando comida a quem nao tem, dando uma peça de roupa, ou uma simples palavra de conforto a alguem na esquina que estivesse precisando.

    Pobres de espirito...com certeza fala para todo mundo que eh feliz, e quando deita a cabeça no travesseiro, chora...sentindo que falta algo em sua vida.

    O destino eh tao ironico que esse ALGO, ou seja, INTELIGENCIA, que falta na vida de uma pessoa que se presta a perder tempo fazendo um BLOG critico, podes acabar um dia encontrando la na tal da PRO VIDA.

    Passar bem!!
    Anton Chigurh said...
    Bom, responderei apenas ao comentário de um adepto da PV que se expressou de forma racional e equilibrada.
    1- "A instituição propõe algo novo e alternativo e obviamente é renegada pela academia cientista tradicional." A instituição foi fundada em 1978 e jamais publicou um texto científico. Presume-se que, na verdade, ela não propõe nada.
    2- "Se o autor se diz contra aos ditos valores tradicionais e conservadores, porque tanto ceticismo e preconceito com a ciência que se permeia por caminhos mais alternativos?"
    O método científico tradicional não é adotado por razões de natureza ideológica, mas por ser a única maneira de se produzir resultados idôneos e que confiram validade a qualquer que seja a pesquisa.
    3- "O autor, através desse artigo faz declarações, através de depoimentos de pessoas descontentes ou que não entenderam a mensagem passada, de que a instituição então seria mentirosa"
    Quer dizer, se você discorda, ou é infeliz, ou é burro.
    Se eu me lembro bem, humildade é um princípio valioso lá dentro, não?
    Essa complacência travestida de sabedoria é comum a todo fanático religioso. Duvida? Vá questionar o dogma de um evangélico fervoroso e receberá aquele olhar condescendente por você, uma pobre alma perdida que precisa encontrar Jesus. É sintomático, meus amigos.
    mauro said...
    Cada um pode dar sua opinião, porém certifiquem-se das escritas neste post, temos que respeitar, e se não conhecemos não podemos criticar, quem prova essas "verdades" ditas aqui por esse infeliz? Mamãe não ensinou o que é respeito não?
    Willian said...
    É infelismente nem todos conseguem alcançar os objetivos ppropostos na vida, aco que os cursos da pró-vida são facilitadores dessas conquistas, com isso não satisfeitos tentam manchar a imagem de instituições com príncipios tão bonitos como a pró-vida. Sem, eu acho, nem mesmo ter conhecido os ideais da entidade na prática, começam a postar esses questinamentos infundados, conheça depois critique!!!!!!
    Willian said...
    É infelismente nem todos conseguem alcançar os objetivos ppropostos na vida, aco que os cursos da pró-vida são facilitadores dessas conquistas, com isso não satisfeitos tentam manchar a imagem de instituições com príncipios tão bonitos como a pró-vida. Sem, eu acho, nem mesmo ter conhecido os ideais da entidade na prática, começam a postar esses questinamentos infundados, conheça depois critique!!!!!!
    Alcides said...
    Ola meus amigos,
    Sei que demorei muito, mas venho a responder a declaração feita por Anton Chigurh, mas ai vai:
    Primeiramente vejo uma contradição em sua declaração, se eu sou racional, não tem como eu ser dogmático ao mesmo tempo, para a minha visão sobre o Pró vida.
    Respondendo em tópicos como foi feito por ele:
    1 Muitas ciências alternativas foram incorporadas pela ciência tradicional, como a acumpultura, por exemplo que durante anos foi marginalizada pela mesma.
    2 – Vejo que o senhor distorceu o que eu disse, para simplesmente justificar, o fato do senhor me chamar de arrogante ou metido, quando ressalta a importância da humildade. Veja bem eu falei que o autor entrevistou apenas pessoas DESCONTENTES COM A PRÓ VIDA, ou seja, não gostaram do ambiente, ou das propostas, ou das mensagens, seja lá o que for. O que é absolutamente normal.
    E falei também daqueles que por algum motivo não compreenderam as mensagens passadas e não que essas são burras, afinal acredito que não existem pessoas burras, pois todos nós somos igualmente capazes de compreender e ter dúvidas sobre as coisas, se o senhor acredita em burrice o arrogante é o senhor, uma vez que pode acreditar na superioridade de uma pessoa sobre a outra, o que eu não acredito.
    Outra coisa Anton, a felicidade não depende de ninguém, somente de si, portanto não teria como eu falar que quem discorda da Pró-vida é infeliz. Isso não precisa de Pró- Vida pra saber.
    E outra não entendo o porquê de tanta agressividade e torno a perguntar:
    Conhecem verdadeiramente a Pró- Vida? Se não, juntem–se a nós.
    Outro ponto importante é que se conhecimento fosse dado, não pagaríamos escolas, cursos de graduação ou impostos, quando esses são oferecidos pelo governo.Vocês esqueceram disso né? Acham que a Pró-vida deveria ser de graça, mas durante toda a vida de vocês pagam para obter conhecimento. Conhecimento Grátis era só na Grécia antiga com Sócrates e por um curto período de tempo.
    E para finalizar, senhor Anton,não há nada mais ideológico que a ciência tradicional, que produz em função do capitalismo, que é o modo de produção atual e também, ideologia, ou seja o senhor é movido e fruto dessa ideologia,portanto, cabe a nós apenas distinguir e separar as boas das más. Eu classifico a Pró-vida dentre as boas, e o convido a participar.
    Alcides said...
    Ola meus amigos,
    Sei que demorei muito, mas venho a responder a declaração feita por Anton Chigurh, mas ai vai:
    Primeiramente vejo uma contradição em sua declaração, se eu sou racional, não tem como eu ser dogmático ao mesmo tempo, para a minha visão sobre o Pró vida.
    Respondendo em tópicos como foi feito por ele:
    1 Muitas ciências alternativas foram incorporadas pela ciência tradicional, como a acumpultura, por exemplo que durante anos foi marginalizada pela ciência tradicional.
    2 – Vejo que o senhor distorceu o que eu disse, para simplesmente justificar, o fato do senhor me chamar de arrogante ou metido, quando ressalta a importância da humildade. Veja bem eu falei que o autor entrevistou apenas pessoas DESCONTENTES COM A PRÓ VIDA, ou seja, não gostaram do ambiente, ou das propostas, ou das mensagens, seja lá o que for. O que é absolutamente normal.
    E falei também daqueles que por algum motivo não compreenderam as mensagens passadas e não que essas são burras, afinal acredito que não existem pessoas burras, pois todos nós somos igualmente capazes de compreender e ter dúvidas sobre as coisas, se o senhor acredita em burrice o arrogante é o senhor, uma vez que pode acreditar na superioridade de uma pessoa sobre a outra, o que eu não acredito.
    Outra coisa Anton, a felicidade não depende de ninguém, somente de si, portanto não teria como eu falar que quem discorda da Pró-vida é infeliz. Isso não precisa de Pró- Vida pra saber.
    E outra não entendo o porquê de tanta agressividade e torno a perguntar:
    Conhecem verdadeiramente a Pró- Vida? Se não, juntem–se a nós.
    Outro ponto importante é que se conhecimento fosse dado, não pagaríamos escolas, cursos de graduação ou impostos, quando esses são oferecidos pelo governo.Vocês esqueceram disso né? Acham que a Pró-vida deveria ser de graça, mas durante toda a vida de vocês pagam para obter conhecimento. Conhecimento Grátis era só na Grécia antiga com Sócrates e por um curto período de tempo.
    E para finalizar, senhor Anton,não há nada mais ideológico que a ciência tradicional, que produz em função do capitalismo, que é o modo de produção atual e também, ideologia, ou seja o senhor é movido e fruto dessa ideologia,portanto, cabe a nós apenas distinguir e separar as boas das más. Eu classifico a Pró-vida dentre as boas, e o convido a participar.
    Lúcia Rodrigues e Cristiane Conti said...
    Pessoas são diferentes. Seitas e religiao também.
    Como jamais existirá a certa, perante o dito 'Deus'.
    Nem mesmo ele conseguiu unicidade quanto a quem ele é?
    Quiçá o Homem! Quisera o Homem!
    Cada um deve conviver e viver feliz, entre os seus e entre os diferentes.
    Não devemos substimar as crenças das pessoas, tampouco podemos apressá-las a acreditar na nossa, uma vez que temos realidades e vivências diferentes.
    Sou aluna do pro-vida a 1 ano. Não deixei minha familia por isso, pelo contrário, descobri que ela é mais importante que qualquer outra coisa que possa existir.
    Agora, quantos se dizem xxxxx religiões que aprenderam isso no lugar que frenquentam?
    O que posso dizer é: cada vez que nos conhecemos, melhor entendemos o próximo, para podermos amá-lo verdadeiramente como Jesus ensinou, mas Buda, Ghandi, e outros, também ensinaram, cada um na sua realidade e no seu entedimento, e na sua época histórica e política.
    A única verdade é AMAR, e de preferência como a ti mesmo, pois
    "a cada um será dado, segundo as suas obras" (Mateus 16,27) - completo: 'segundo seu entendimento'.
    Obrigada por este aprendizado, isto apenas prova como pessoas precisam chegar mais perto do ser maior e pleno que existe, e como prova que elas se afastam da Verdade a todo momento.
    Lúcia Rodrigues e Cristiane Conti said...
    Pessoas são diferentes. Seitas e religiao também.
    Como jamais existirá a certa, perante o dito 'Deus'.
    Nem mesmo ele conseguiu unicidade quanto a quem ele é?
    Quiçá o Homem! Quisera o Homem!
    Cada um deve conviver e viver feliz, entre os seus e entre os diferentes.
    Não devemos substimar as crenças das pessoas, tampouco podemos apressá-las a acreditar na nossa, uma vez que temos realidades e vivências diferentes.
    Sou aluna do pro-vida há 1 ano. Não deixei minha familia por isso, pelo contrário, descobri que ela é mais importante que qualquer outra coisa que possa existir.
    Agora, quantos se dizem xxxxx religiões que aprenderam isso no lugar que frenquentam?
    O que posso dizer é: cada vez que nos conhecemos, melhor entendemos o próximo, para podermos amá-lo verdadeiramente como Jesus ensinou, mas Buda, Ghandi, e outros, também ensinaram, cada um na sua realidade e no seu entedimento, e na sua época histórica e política.
    A única verdade é AMAR, e de preferência como a ti mesmo, pois
    "a cada um será dado, segundo as suas obras" (Mateus 16,27) - completo: 'segundo seu entendimento'.
    Obrigada por este aprendizado, isto apenas prova como pessoas precisam chegar mais perto do ser maior e pleno que existe, e como prova que elas se afastam da Verdade a todo momento.
    Victoria said...
    O que eu penso: Devemos fazer o que achamos q dá resultado e pronto...me senti bem na semana do curso...penso que meditacao comprovadamente faz bem, e se auto hipnotizar tambem.Nao porque uma força mágica torna as coisas possiveis, mas porque certas praticas nos estimulam a nao desanimar e continuar lutando.Mas que esse mundo é estranho ele é, ja que eu e voce ja presenciamos diversas coincidencias, ja tivemos varios pressentimentos que estavam corretos e bem sabemos que quando estamos bem conosco, cheios de amor, parece que acabamos atraindo as melhores coisas e pessoas pra nossa vida!
    Estou meio perdida mas sei que logo logo irei me encontrar... e voltar a viver aquela "magica"que um dia eu ja vivi. Não vou desistir de meditar, faz muito bem para mim, principalmente em relaçao à ansiedade que eu tenho em relação às coisas...
    Conclusão: (porque ja falei demaaaais!!) Talvez a meditação não nos dê o carrão que queremos, mas vai nos encorajar e dar força para que consigamos trabalhar para comprá-lo!!
    Boa semana!!
    sergio said...
    Parabéns, vc disse tudo, duro é ver
    a cara dos trouxas se achando.
    sergio said...
    PARABÉNS. DURO É LER TEXTO É POSTAR
    DEFESA, TEM ALUNO QUE É CEGO.
    APC Redes Sociais said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    APC Redes Sociais said...
    Se você faz algo que muda sua vida, que faz você se sentir melhor do que antes, então esse caminho é o seu caminho do coração.
    Siga sempre em frente em seu caminho, cada um no seu, pois todos levam a mesma fonte.
    Simples assim.
    Antonio said...
    Parabéns pelo texto, tenho vários conhecidos que estão envolvidos no Pró Vida e realmente é comum de se ouvir as frases feitas que foram enfiadas na cabeça deles, a aceitação completa sem questionamento, e o que mais me deixa triste é a pseudo-ciência praticada. Como assim não existem provas consistentes? Como assim não a gravações dos resultados, repetições, estatística, análise de especialistas sobre a metodologia empregada. Isso não é ciência é fraude, charlatanismo, algo pior que a mentira.
    Juliana said...
    Nem me dei ao trabalho de ler tudo pq vi q era tudo uma baboseira cética e burra só!
    De vdd...Só mesmo NAO TENDO FEITO os cursos pra dizer uma coisa dessas...
    Pra começar, DOGMAS?!
    a Pro-vida trabalha com conceitos completamente opostos a isso!
    "É solicitado aos alunos iniciantes que não façam anotações durante o curso" - MENTIRA.
    "os quadros de Jesus Cristo e Celso Charuri (que se encontram em todas as salas da instituição lado a lado)" - MENTIRA DAQUELAS!
    "Mundo Bem Melhor" - Acreditem, nao ouvi monitor nenhum falar isso sequer uma vez.
    "Desde o primeiro curso é dito que os alunos são privilegiados, por uma "Força Maior" tê-los levado à instituição." - PAPO MAIS TOSCO! Nunnnca falaram isso, nunquinha! Bem coisa de gente barraqueira que adora criticar as coisas sem conheçer DE VERDADE.
    "A postura desencorajadora no que tange a questionamentos e provas (o que contraria o método científico que é composto fundamentalmente pela prática de questionamentos e necessidade de provas)" - Exatamente o contrario, houve muuitos questionamentos durante o curso, e ninguem se esquivou de responde-los exaustivamente quando necessario.
    "fé é estimulada aos membros por parte dos monitores" - Em nenhum momento eles falam de FÉ...até pq se falassem, EU, q nao tenho FÉ em coisa nenhuma, nem teria feito o curso. Respeitam muito as opinioes de cada um, e nao enfiam nada GOELA ABAIXO, como tem gente falando...vc ABRE OS OLHOS, se quiser...se nao quiser...vc continua sendo cético, pequeno e limitado.
    "são flexíveis: a instituição não encoraja seus membros a questionarem, duvidarem ou contra-argumentarem as coisas que aprendem." - RI-DI-CU-LO!
    "Um comunicado interno aos monitores e professores os instruem a não dar qualquer tipo de entrevista. Nenhum conteúdo programático dos cursos pode ser divulgado" - Oooo dificuldade de entender as coisas! Pensa bem...VC GOSTA QUANDO TE CONTAM O FILME TODO ANTES DE VC ASSISTIR?! Mas nao né...tem gente q adoora complicar!
    "na verdade são conceitos místicos que dependem exclusivamente de fé, ou seja, da pessoa aceitar ou não aquilo ensinado como verdade." - Realmente, depende de vc ter uma mente aberta à coisas novas, e àquilo que vc nao CONHEÇE!
    "Não são citadas as fontes e os estudos ou experimentos científicos na maioria dos fenômenos que a instituição ensina como verdade" - Ahhh SAO SIM! Nao sei quem foi q disse o contrario, mas no curso q EU fiz, foram citadas e MOSTRADAS muuuitas fontes.

    Enfim...daí pra frente tinha mt mais...
    mas pra que né...
    falar com gente ignorante nao adianta!
    Marcos said...
    A Pró-Vida é o reflexo da irracionalidade. Um dos produtos da sociedade de consumo. Claro! Por que não pagar pela própria salvação, já que podemos comprar tudo? É uma "empresinha de salvação" de gosto muito duvidoso. Muitos que frequentaram têm demonstrado, ultimamente, muita insatisfação com o que analisaram no âmbito da instituição, como, p. ex., as diferenças entre o pregado e um pragmatismo que somente serve para aliciar egos destruídos por problemas familiares, complexos de inferioridade dos mais diversos tipos. Não julgo o subjetivo de cada um. Mas a busca pelo Poder, no âmbito religioso serve muito bem para medir intenções. Quando vejo aquelas pessoas de idade, sobretudo senhoras com muita idade, indo á igreja, rezando, doando, esse subjetivo é inquestionavelmente valoroso, mas, um dia desses, vi um amigo palestrando sobre como comprar pela Pró-Vida. TER, TER, TER. O SER PARA O TER. Ignorância nossa? Ótimo que assim o seja!
    Marcos said...
    Celso Charuri, filósofo de araque, construiu todo um império baseado em mitologia egipcia (aliás, nada a ver com a bela mitologia egipcia). Onde estão seus artigos filosóficos? Escreveu algo sobre empirismo, inatismo, criticismo? Ele dizia que o homem faz o meio. Comprovadamente, o homem é produto do meio. Fico imaginando quantos bens a Pró-Vida já locupletou de pessoas bem intencionadas, as quais não devem ser julgadas ou criticadas pelo seu subjetivo. A matéria publicada na Revista Marie Claire dá conta de uma situação dessas, com citações de envolvidos e tudo. TER, TER, TER. O SER PARA O TER. MENTALIZE SEU FUSION! CONQUISTE SEU COROLLA! PODEM PERCEBER QUE O GOSTO POR CARROS É BEM TÍPICO DOS MAURICINHOS FREQUENTADORES DAQUELA MENTIRA INSTITUCIONALIDADA! POR QUE? OS COLANTES SERVEM COMO PROPAGANDA. QUALQUER UM SABE O QUE OCORRE LÁ DENTRO. ATÉ NO YOU TUBE TEM VÍDEOS...
    Adriana Caldeira said...
    Srs,

    Quem dentre voces conhecem um pouco da Doutrina de Jesus(não catolicismo)?Quem já leu sobre Espiritualidade,Lamaismo e Budismo?
    Caso negativo para todas,não sabe do que está falando.
    A Igreja Renascer tem entre seus adeptos e dizimados pessoas milionarias como Kaká e o falecido Airton Senna ,como seus maiores colaboradores...o que é um Corolla e um Civic (pode estar financiado)?custa muito menos que os BMWs e Mercedes parados na frente da Igreja de Edir Macedo...muita gente chega à pé...
    Srs,não discutam ,pq que tem a razão não discute, instrui.Qual o problema em querer ser uma pessoa melhor?Jesus disse em seus ensinamentos que tudo é merecimento, ação e reação é a Lei do Universo,dá e receberei,amar ao próximo como a ti mesmo...vcs vão questionar Jesus?
    Pq não vão se fundamentar,não no curso que pagaram para colocar aqui...mas no encontro com vcs mesmos...e não sintam vergonha...acontece...
    Adriana Caldeira said...
    Prezado dono deste blog...

    Perguntas que não querem calar:

    !-Vc foi até lá com um revolver na cabeça?Qual base vc tem para tanto questionamento?Defendeu sua tese onde e sobre o que?
    2-Vc pagou um valor consideravel, que poderia ser uma prestação do seu "Fusion"...?
    3-Vc pediu seu dinheiro de volta na saída???
    4-penso que,para quem tem um Corolla, um Fusion não é nada...é só financiar 15 mil ou menos....ter $$ para o seguro e ter renda compativel para sustentar este carro...tendo tudo isto,vc já estaria pensando diferente.Não me lembro de ter visto no estacionamento nenhum BMW,Audi ou MB...um Ferrari...vi apenas tudo de material o que eu poderia ter.Depende do que vc quer...
    Dificil é ter um FUSCA,morar de aluguel(com todo respeito),e querer que sua mente lhe dê um Fusion do nada...sem que vc trabalhe por isto...já pensou em como pagar as despesas dete carrinho?Para ter este carro, vc tem que ter uma vida estabilizada, um bom emprego, uma boa renda ou ser muito bom executivo para que sua empresa lhe dê como benefício.
    Não pense pequeno, peça a Jesus para lhe dar saúde para correr atrás de seus objetivos,estude, melhore como pessoa, construa relacionamentos , melhores seus espirito e depois fale do alheio...vc vai ver tudo de forma diferente...pode crer que vai...
    Marcos said...
    Os "fusions", as "ferraris" da vida, normalmente quem as tem são os donos dessas instituições ...
    Adriana Caldeira said...
    Marcos...
    Nunca vi...trabalhei na Audi 5 anos, e peguei muito,mas muito cheque de pastor de igreja..vc ficaria espantado.Lá todos trabalham,não vivem deste curso enem do que cirla ali..não seja "pequeno"...Fusion até eu tenho(hj tenho um C3 com carnê),dependerá da minha renda para comportar o carnê...agora,visualize a SUA vida daqui a 5 anos,nãoperca seu tempo com ados outros ou msno olhando o que o outro tem....Lobsamp Rampa já falava disto em seus livros em 1969...e ele por ser um Lama não tinha |Fusion...informe-se ...a internet surpeende..
    Fica em paz...
    Adriana Caldeira said...
    Marcos...

    Cadê os vídeos que não vi no Youtube???Me manda o link???

    Só vi 2 meninas sem noção fazendo um videozinho grosseiro....vixi!

    A proposito, Lobsamb Rampa, como citei anteriormente, escreveu sobre muitas coisas que aprendemos ali.Leias alguns...é baratinho...vc vai se surpreender como um Lama do Tibet em 1969 fala sobre tudo isto que dizem em seus livros ...e no Tibet não tem carrão..grana...e ai colega...lê e depois comenta...
    Saúde e paz...no resto VC corre atrás...
    K'cau said...
    Acho que pessoas sem Fé, sem carater e principalmente sem rumo, tem uma capacidade absurda de ver as coisas de forma negativa, admito que o suposto criador desse post teve uma grande imaginação e abusou da maldade ao postar coisas tão absurdas, sobre questão que concerteza não tem real conhecimento.

    Mas dizem que um dia as pessoas evoluem, posso prever que alguns aqui estão muuuito longe dessa evolução, por isso são incapazes de compreender qualquer tópico aqui mensionado.


    Quem só acredita em palavras,
    só terá palavras...
    Marcos said...
    Que interessante! Apagaram os vídeos do Charuri no YouTube. Tinham algumas aulas dele. Interessante como tinha péssima oratória. Mas ele está morto e não podemos falar mal dos mortos. Perdoem-me. Deve ser algum discípulo inconformado que apagou os vídeos.
    Pessoal, não resumo a vida em questões financeiras: o que é barato, caro, etc. Tenho minha própria segurança e nunca tive que mentalizar nada, nem tampouco inflar meu ego ou até mesmo me sentir melhor do que os outros pelo que conquistei. Ademais, nem falo muito disso. Só ouço o pessoal do "Ser para o Ter" dizerem. Sentir-se melhor do que os outros é o que Pró-Vida ensina. "Atenção discípulos!!! Virem as costas após a terceira vez, hein ..." A instituição a qual vocês respeitam segrega, preconceitua e impõe valores deturpados. Um "platonismo barato", uma visão arcaica. Quanto ao dinheiro dos cursos? Se pedi devolução? Se achei que gastei muito? Perguntem à Deloitte. É pessoal!!! Aquela auditoria mesma que está envolvida no escândalo do Panamericano. Ela é quem faz a contabilidade da Pró-Vida, auditorias, etc. Procurem lá, aonde estará o "dindin" de vocês.
    Continuo insistindo que para quem consegue comprar até mesmo a própria salvação, não conseguiria entender o significado da palavra "evolução". Aliás, detesto essa palavra. Ela segrega, preconceitua, divide as pessoas. Vocês são evoluídos? Parabéns! Conheci muita gente da noite, muita gente interessante em botecos de quinta. Nos terreiros de Umbanda, Candomblé. Todos, aos olhos de vocês, discípulos da "Perfeição Charuriana" bem "involuídos"...
    Adriana Caldeira said...
    Prezado Marcos,

    Nãso ssabia que vc tb já tinha frequentado todas as "portinhas" de umbanda, candomblé e afins...sinal que está sempre a procura de algo.

    Quem falou em valores foi vc, e se para vc a quantia deixada lá, de livre e espontânea vontade,não faz falta, bom para vc!

    Se vc tem sua segurança sem precisar visulaizar onde vc quer chegar, qual seria sua pretensão de moradia, qual escola gostaria que seus filhos estudasem, então, vc relamente é daqueles que a vida leva e as coisa acontecem...vc nem precisa de esforço para isto, basta que vc bata seu ponto.Vc nunca almejou um emprego melhor?uma casa melhor?um carro melhor, ou um fiat 147 serve?

    Se vc respondeu todas afirmativas, comoqualquer ser humano dotado do mínimo de inteligência, vc mentalizou sim!!!

    Bem, acho que aqui o que falta é cada um cuidar de sua vida, não acha?Deixa a Pró vida pra lá e segue a tua, mas quando falar, tenha fundamentos....estude Lamaismo, apenas isto e depois podemos conversar sobre o Pró vida.

    Grande abraço e fique em paz!
    Marcos said...
    Adriana, não seja preconceituosa. Trabalho com pesquisas científicas sobre o assunto religião. O fato de ter conhecido gente interessante nas "portinhas" do candomblé, etc., não quer dizer que eu concorde com tudo. Não se precipite ao julgar alguém. Minha busca é fundamentada na filosofia (não "charuriana"), mas em epistemólogos e no existencialismo. No entanto, faz parte da Pró-Vida segregar e chamar de "portinhas" outras religiões que discordem de seus princípios facistas. Claro que vivo em busca, como qualquer pessoa. Só penso que a Pró-Vida é perniciosa e nazista em seus princípios. Tem gente que perde tudo nisso e, antes de perder dinheiro (ou depois) acaba perdendo a própria dignidade. Você entende mentalização do ponto de vista místico, como a Pró-Vida prega. Eu critico o ponto de vista místico. Não "mentalizo" como você quis dizer.
    Marcos said...
    Adriana, ninguém precisa frequentar a Pró-Vida para colocar os filhos em boas escolas, comprar um carro novo, etc. Você discursa como a Pró-Vida te ensinou. Isso é lavagem cerebral. Infelizmente, parece que você já incorporou todos os ideais da instituição. Conheço relatos de pessoas que em apuros,chamavam pelo Dr. Celso. Francamente! Donos de empresas que exigem que seus empregados façam os cursos, etc. e toda a sorte de abusos. Sinceramente, nada tenho contra o subjetivo de cada um. Sabem de uma coisa? Sempre que vejo as pessoas entrarem na Universal, p. ex., penso que estão em busca de algo. Que precisam de respostas, que encontram respostas, como muitos que frequentam a Pró-Vida, talvez, também devam encontrar. Mas, a partir do instante em que a busca passa a ser manipulada para a segregação, o preconceito, presunções de verdade absoluta, códigos genéticos, etc. Acho isso complicado, nazista. A Pró-Vida não pode ser considerada uma “escola filosófica”. A afirmação de que é escola filosófica irrita qualquer filósofo que veja a filosofia como um caminho sério de busca. Não há um trabalho metodológico, nem muito menos qualquer tipo de epistemologia. Não dá para considerar epistemologia nada do que seja pregado pela Pró-Vida. Ainda tenho que a instituição é um reflexo da irracionalidade social; um fenômeno em massa da sociedade de consumo. PAGA-SE PARA SE SENTIR BEM CONSIGO E COM OS OUTROS; CONSOME-SE A SALVAÇÃO. REPUTA-SE VERDADEIRO E ABSOLUTO O QUE UM HOMEM COMEÇOU A ENSINAR NO INÍCIO DA DÉCADA DE 80 E QUE NEM FILÓSOFO ERA. Os principais pontos que fundamentam a filosofia não são respeitados. Para começo, a filosofia é ciência. Os trabalhos de Jean Piaget, que de certa forma se calcou em Kant para explicar certos aspectos de sua epistemologia genética, são científicos por excelência. CORPO DESPREZADO. O QUE VALE É SÓ A ALMA PARA A PRÓ-VIDA. O QUE É ETÉREO É MAIS FÁCIL MANIPULAR AO BEL PRAZER. Como considerar os trabalhos de Charuri científicos? Eu gostaria muito de saber aonde estão os tais princípios filosóficos da Pró-Vida. Para mim, a Pró-Vida é UMA HISTÓRIAZINHA EM QUADRINHOS EM PRETO E BRANCO DA MAÇONARIA e de gosto muito DUVIDÁVEL quanto à filosofia.
    Marcos said...
    Mas, afinal, o que se quer com essa busca? Conhecimento para ter Poder? Conflitos entre Igrejas, desde a época de Saladino e das Cruzadas. Mas, honestamente, me digam qual das igrejas (até a Renascer e a do Macedo) pregam virar as costas? Existe um caráter mercadológico nessas igrejas, admito, mas nenhuma delas, quer queiram, quer não, prega o virar as costas a alguma pessoa… Isto é puro preconceito. E os "próvidianos" não conseguem expressar nada quando falamos no tal "virar as costas". Mas, prestem atenção: o movimento da Nova Era desencantou as pessoas. Nada do que quiseram, lograram êxito a nível de espiritualidade. O crescimento da Pró-Vida se deve ao aprofundamento do vazio humano, como ocorre com muitas outras seitas. E tem mais: os textos que fundamentam a Pró-Vida são do início da década de 80. Alguém acredita em ciência dessa forma? E o tal código genético? Diz Charuri que a lei do dízimo está escrita na Pirâmide de Quéops, e continua o Mestre: "E quando você chega lá (referindo-se ao além, ao pós morte), é recebido por pessoas que também têm o sinal. E é uma festa quando você chega. Aqueles que não morrerem até o ano de 2001 poderão observar que houve uma mudança notória no sentido raça; e se algum médico chegar, notará um novo código genético". Ou seja, os próvidianos têm o tal código genético que abre as portas para os céus! Somente eles. Nós, da terceira dimensão, temos de nos contentar,ou pagar a grana dos cursos. O mundo bem melhor somente pode ser alcançado pela Pró-Vida?
    Marcos said...
    INCINERANDO OS NÃO EVOLUÍDOS:

    "SABEMOS DA ENORME DIFICULDADE QUE TODOS QUE TÊM PARTICIPADO ATIVAMENTE DE NOSSOS CURSOS SENTEM QUANTO AO RELACIONAMENTO COM PESSOAS QUE AINDA NÃO TIVERAM OPORTUNIDADE DE NOS CONHECER. ISTO SE DEVE, SEM DÚVIDA, À COMPREENSAO MAIOR DOS ASPECTOS VIDA E SERES HUMANOS QUE NOSSOS CURSOS PROPORCIONAM. É SINAL DE EVOLUÇÃO! ENTRETANTO, UM TRIBUTO DEVERÁ SER PAGO, E ESTE CONSISTE NA COMPREENSÃO DO NÍVEL MENTAL EM QUE AINDA VIVE A MAIORIA DOS HABITANTES DE NOSSO PLANETA, QUE QUEREM ENSINAR OS CAMINHOS DA FELICIDADE SEM AO MENOS SEREM, ELES MESMOS, FELIZES. AOS NOSSOS ALUNOS, INDICAMOS COMO CONDUTA O AFASTAMENTO GENTIL DE TAIS PESSOAS, QUANDO SE TRATAR DE PESSOAS SEM LAÇOS FAMILIARES". Como Vai a Sua Mente?
    Anotem, meus amigos: idéias esotéricas vivem de mãos dadas com visões imperialistas e de superioridade...
    Adriana Caldeira said...
    Marcos, vc não respondeu...

    Vc nunca almejou uma vida melhor do que a que tem agora?
    Um fiat 147 está bom para vc?
    Vc só precisa de uma casa humlde para viver?
    Nunca almejou um cargo melhor?
    Estudou para ganhar salário minimo?
    Pois é, se vc um dia teve um "objetivo" em mente, sem querer idealizou(tela mental*) o que vc realmente quer e foi atras...só mudam as palavras...
    Vc deu uma olhadinha na filisofia Lama?Ainda não...??/que pena,não dá nem para comentar algo se vc nem sequer teve a curiosidade de ler...
    Adriana Caldeira said...
    Marcos,
    em retorno ao seu questionamento tenho a dizer:
    1-não vejo como lavagem cerebral coisa que os Lamas tem em sua filosofia,motivo este que aconselhei vc a ler a respeito.Lobsamb Rampa escrevia isto em 1960...Celso Charuri não estava no circuito.Leia e me fale.
    2-Qual seu nivel de conhecimento em religião?Já fez estudo biblico?Eu sim,por 5 anos..
    3-Já estudou kardecismo ou espiritismo?Eu sim, por 4 anos..
    4-Já estudou candomblé?Eu sim,por 5 anos...entre outras filosofias.
    Perceba que falo com algum conhecimento...desde meus 14 anos fui xereta e sempre quiz saber o porque das coisas...mas como vou comparar ou mesmo entender se não conheço o mínimo?
    Não vi nada lá que me desagradasse,como vi em muitas religiões...fui com minhas pernas e me permiti entender,apenas isto.
    Lavagem cerebral é feita em pessoas que se deixam levar, que não é meu caso...reitero que ali revi tudo o que li nos livros escritos de um Lama escrito em 1960...ali eles nos ensinam a "abrir a porta"...
    Vc sabia que pessoas com fobia são tratadas com meditação...?no Discovery vi uma matérias sobre crianças que não comem e uma delas foi tratada por uma doutora inglesa com meditação..incrivel,né?
    Pois é, acho que aqui falta fundamento...se vc não leu nada sobre as religiões acima, não tem o que falar do -PV,até pq eu só volto se eu quiser...e ninguém me disse que minha vida vai pro buraco se eu não for,não sofri pressão alguma,não tenho problemas psiquicos ou mesmo emocionais que me façam procurar auxilio em algo ou alguém...pelo contrário, sou muito bem resolvida,sei o que quero, e principalmente o que não quero para minha vida.Não tenho um Fusion, mas um carro 0km conseguido com muito esforço e desejo de que eu mereço, se Deus assim me permitir, pois acredito que o universo conspira a meu favor, se assim eu pensar...ou não?E isto independe de ser PV ou não...energia é energia...independe de religião ou credo...
    Marcos said...
    O subjetivo, consoante o que escrevi anteriormente, claramente deve ser respeitado. Respeito as buscas, como respeito a sua, Adriana. Por outro lado, é fácil para você dizer que eu não respondi. Você tempera seu discurso com um misto de prosopopéia e sofisma. Mas não estou atacando o seu subjetivo, muito embora você esteja se utilizando dele para defender a Pró-Vida. Sua visão de "tela mental" nada tem a ver comigo. Você nomeia uma essência - tela mental - que eu conheço com outro nome e também outra essência.
    Encontrei algo sobre Rampa:
    http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2023&catid=80
    Sobre o livro Como Vai a Sua Mente? Tem várias passagens bem semelhantes (aliás, até parece que foram escritos pela mesma pessoa) com outra "obra": Mein Kampf. Já ouviu falar? É um estudo pormenorizado sobre questões de ordem genética; religiosas, adequações de ordem religiosa, moral e genética. Tem tanta coisa interessante na "obra", Adriana, que acho que vocês da Pró-Vida deveriam iniciar um estudo dentro de alguma pirâmide para entender a real dimensão humana...
    Marcos said...
    COMPAREM E ANALISEM:

    "Assim, pode acontecer que durante muitos séculos, descontentes com a conformação de sua vida religiosa, aspirem a uma inovação e que, dessa aspiração moral, surjam dúzias de
    homens que se crêem eleitos, pela sua clarividência ou pelo seu saber, como profetas de uma nova doutrina ou pelo menos como lutadores contra outra já existente."
    "Aqui também, pela ordem natural das coisas, certamente será o mais forte que será escolhido para cumprir a grande missão; apenas os outros só muito tardiamente reconhecem o fato de ser este o único eleito. Ao contrário, todos se julgam com os mesmos direitos e
    predestinados a resolver o problema, sendo que a coletividade geralmente é que menos sabe distinguir quem dentre eles é capaz de realizar a mais alta missão, quem merece o apoio de seus semelhantes."
    PESSOAL, GOSTARIA QUE VOCÊS ME RESPONDESSEM, MAS NÃO COM ESOTERISMO: O QUE NOS DIFERENCIA DOS OUTROS ANIMAIS, DITOS IRRACIONAIS? SE O ACIMA CITADO PODE SER, TALVEZ, USADO PARA EXPLICAR A SELEÇÃO NATURAL ENTRE OS OUTROS ANIMAIS, O QUE, AFINAL, EM ESSÊNCIA NOS DIFERENCIA DELES? A SOLIDARIEDADE. O MAIS FORTE AJUDANDO AO MAIS FRACO, NUNCA VIRANDO DAS COSTAS!!! SE NOSSA SOCIEDADE É RACIONAL, OU DEVERIA SER, SE A SOLIDARIEDADE É UMA QUESTÃO RACIONAL OU PURAMENTE SENTIMENTAL, DE QUALQUER FORMA, É ISSO QUE NOS DIFERENCIA. NOSSA CAPACIDADE DE COMPREENSÃO E AUXÍLIO. TEM MUITO FIAT 147 NA PRÓ-VIDA, JÁ QUE FALAM TANTO NISSO? E OS PREÇOS QUE COBRAM PELOS CURSOS? TRIBUTOS PARA A SALVAÇÃO DA ALMA? FRANCAMENTE!
    Marcos said...
    Me perdoem! A frase acima é uma citação direta da "obra" Mein Kampf, sabem de quem é a autoria, não?
    Adriana Caldeira said...
    Caro Marcos...
    Vc me parece entendedor do que está escrito pelos outros e um grande estudante disto e daquilo,me responda:

    Como vc define DEUS ???
    Marcos said...
    Adriana, é uma pergunta um tanto quanto difícil. Penso que seria muito orgulho de nossa parte tentarmos definir Deus. Mas sempre penso em Deus quando olho para o céu, para o Infinito. Sinto Deus, quando olho para o Infinito. Como você se sente sabendo que vive em um pedaço de terra (Planeta Terra) em um determinado ponto num espaço escuro, cheio de estrelas e planetas, que não tem fim? Se você estiver na Lua e olhar para "baixo", se é que existe "baixo" no Cosmos, você não verá nada. Se olhar para os lados, aonde está o final? Dizem que expande. Mas para onde? Se você estiver em uma nave espacial, vai percorrer uma distância monstruosa perto do que conhecemos por distância, e nunca acaba. Não tem fim. Contudo, penso que a nossa vida epistemológica gira em torno de Deus e talvez pela Epistemologia possamos compreendê-lo. Epistemologia significa estudo do conhecimento, da produção do conhecimento. Há vários paradigmas para isso. Creio que tudo na nossa cabeça vem de Deus. Sei da existência de Deus porque sou finito e se sou finito, venho do Infinito. Tenho idéia do infinito pelo fato de ser finito. Deus não precisa ser embusteiro; por isso, Ele não engana ninguém. Se não engana ninguém, todas as minhas idéias verdadeiras e distintas podem ser asseguradas pela própria existência de Deus. Se Deus existe, posso crer na existência do Mundo. Essa concepção é epistemológica. Deus não existe, pois a existência é pouco para Ele. Deus não é um ser, porque o ser já é limitado pelas nossas palavras ou nossa própria mente. Nós "limitamos" o próprio conceito de Deus. Ele é Infinito? Sim. se você quiser se utilizar de uma palavra para iniciar algum entendimento sobre Ele. Mas não seria um "infinito físico". É complicado, não? Agora, se você quiser tentar entender via Agostinho ou Tomás de Aquino, para, p. ex., entender a Trindade, também é muito interessante. Claro que depende de fé, até porque estamos adentrando ao terreno do Monoteísmo, que vige no ocidente. O Pai não foi criado nem gerado. Guarde bem issô: É o "princípio e o fim, princípio sem princípio" da vida e está em absoluta comunhão com o Filho e com o Espírito Santo.
    O Filho é Eterno como o pai e consubstancial, ou seja, não foi criado pelo Pai, mas gerado na eternidadade da substância do Pai. Encarnou-se em Jesus de Nazaré, assumindo assim a natureza humana.
    Segundo Agostinho, o Espírito Santo não foi criado nem gerado. Esta pessoa divina personaliza o Amor íntimo e infinito de Deus sobre os homens. Acho muito complicado quando você diz que estudo tantos e, ao que você quer dizer, eu não teria opinião própria. Tenho, segundo minha vivência. Essa mesma vivência também indica um outro paradigma interessante: o Kantiano, que não me identifico porque não tenha personalidade ou opinião próprias, mas, simplesmente, porque fala algo para mim. Para você saber se algo que te diz algo é bom, procure sempre deixar a arrogância e preconceitos de lado. Assim, poderá filtrar o que te passam.
    Abs.,
    M.
    Marcos said...
    Após a Segunda Guerra Mundial, a desilusão e o vazio existencial do homem deixaram de lado a razão, o que provocou o apego ao misticismo. Celso Charuri é um “messias” para os “Próvidianos”. O escritor norte-americano Gore Vidal tem uma obra muito interessante sobre esse fenômeno (messianismo), chamada O Messias. Pode ser adquirida por um bom preço em sebos. Conta como um messias é construído, no mais das vezes pela crença cega e sem um mínimo de coerência, conjugada com jogadas de marketing. A tese do psicólogo da USP, aliás disponível nesse site, explica que Charuri usava seus poderes mentais para tirar carros de frente de churrascarias, cedendo espaço a ele e seus discípulos, o que dispensa qualquer comentário. Certa vez, li que Charuri hipnotizava galinhas para que elas não sofressem pelo abate. Isso, amigos, é muito complicado. Vontando à tese: uma tese aprovada por um comitê de ética de uma universidade do porte da USP tem credibilidade quanto aos fatos narrados, eis que oriundos de pesquisas (entrevistas, etc.). Os fatos narrados pelo psicólogo que defendeu seu mestrado com muita imparcialidade, aliás como tem que ser, dão conta da pratica de muitos atos questionáveis pela instituição Pró-Vida. Óbvio que quem não concorda com a teoria da tese em si, deva refutá-la, mas desde que com argumentos fundamentados. Acho difícil refutar uma tese desse porte, porque os fatos, avaliados pelo comitê de ética e pela própria banca, são reveladores por eles mesmos.
    A Pró-Vida é mais uma manifestação dos anseios da classe média, que interpretou a religião de forma equivocada e nutriu o engordamento dos messias de hoje.
    Adriana Caldeira said...
    Marcos,

    Enquanto vc não ler pelo menos 3 obras do Lama Lobsamp Rampa nos anos 60 e 70(anterior ao Charuri),não vamos ficar pegando artigos escritos pelos homens,até p a biblia foi escrita pelos homens da época e modificada pela igreja conforme a época.
    Depois que vc ler estas obras, conversamos sobre o PV e o Dr Charuri, ok?Estou te dando uma fonte inesgotável para vc pesquisar, visto que poderá verificar que um LAMA não poderia ter ecrito tudo aquilo interessado na classe média que frequenta o PV...antes disto, são só palavras tiradas de algum livro ou internet escrito por alguém dos tempos de hj,com o único interesse de vender seus livros a preços nada convidadtivos para pessoas de classe C e D.
    Explicar o inexplicavel não dá...e não esqueça de que há muitas escolas de YOGA que cobram para fazer praticamente o mesmo que o PV...
    Desculpe-me...mas estou sem tempo de ver suas pesquisa, sou uma executiva e viajo muito...rwalmente sem tempo...falamos depois que vc verificar o que está nestas obras anteriores ao PV..não tenha preconceito e não julgue...
    Adriana Caldeira said...
    Em minha ultima viagem, reli uma das obras do Lama Lobsamp Rampa e separei um trecho da obra O Manto Amarelo,pagina 111:

    Há muitos anos,muitos anos , as pessoas eram muito diferentes do que são agora.Há muitoas anos podiam valer-se ndas leis e utilizar sentidos que a humanidade perdeu, salvo em casos raros.Há centenas de séculos o era homem telepata e clarividente.Ao usar tais poderres para fins condenáveis,porém,a humanidade em geral os perdeu;eles se atrofiaram.Ainda pior.Os seres humanos em geral negam a existência de tais poderes,Você descobrirá,ao visitar países diferentes ao deixar a India e o Tibete,que não será sabio falar em clarividencia,viagens astrais ou telepatia,pois as pessoas simples dirão:"Prove-o!Voce fala em enigmas,diz absurdos.Não há tais coisas,pois se houvesse a ciencia teria descoberto".

    Coincidentemente, lembrei do que algumas pessoas escreveram aqui...vejam, esta é uma obra de 1966, não havia o filosofo, o PV...

    Na pagina 151, onde ele fala de religião:

    A religião é algo que vivemos.É um padrão de conduta que voluntariamente nos impomos para que nosso EU SUPERIOR seja purificado e fortalecido.Mantendoos pensamentos puros,excluimos os impuros,fortalecemos aquilo para onde voltaremos quando deixarmos o corpo.Mas,quando vc se tornar mais proficiente em viagens astrais,vc descobrirá a verdade por si mesmo".

    Fica a dica para quem quiser se aprofundar na filosofia Lama,e lembrar do que foi apresentado no PV...

    Os livros tem valores bem acessiveis e é uma obra escrita por um Lama entre 1966 e 1977.

    Penso..pq o ator Richard Gere ficou em um templo budista durante 1 ano?????

    Abcs,
    Adriana Caldeira said...
    A busca da verdade é um caminho individual. Ou, nas palavras de Galileu Galilei: "Não se pode ensinar coisa alguma a alguém; pode-se apenas auxiliar a descobrir por si mesmo."
    angeellmoon said...
    bem tenho 15 aninhos ^^
    e ja fiz o curço basico e o avançado eu nem frequento mto mais acho que só porque voces não conseguiram oq queriam dentro da pró vida vcs tem que sair criticando é a mesmo coisa sobre descutir sobre bandas e politica ¬¬' não tem logica af meu vocs tão parecendo mais criança do que minha subrinha de 2 anos ¬¬
    Dilma said...
    Li tudo: teorias, debates, os que são a favor, os que são contra e fiquei me perguntando: onde foi para o "fazer aos outros o quê gostaríamos que fizessem a nós? perdoar não 7 vezes, mas 70 vezes 7 vezes". Onde o fundamento moral para nos melhorarmos moralmente senão no exemplo do Cristo? Claro que conforto é ótimo (e eu adoro), mas, para conseguir este conforto basta trabalhar com afinco. Pode se ter tudo isto e ser um simples ser humano, mais um filho de Deus.... Todos temos a essência divina em nós. O resto é mero rótulo.
    matinelli said...
    No comment...
    Mithrandir said...
    Si el autor tuvo acceso a toda la informacion que dio (La mayoria totalmente tergiversada) es porque los cursos son abiertos, y no se pretende esconder nada. Existen muchas personas que no salen satisfechas, y no significa que no esten preparadas, pienso yo que cada uno tiene un cierto camino en la vida, podriamos decir que no esta preparado para el camino que ofrece ProVida, pero seguramente encontrara otro, sea el que sea, y no sera mejor ni peor, simplemente sera otro. En ProVida existen seres humanos, y como tales piensan de manera diferente, cada opinion es personal, es una interpretacion de cada uno, no es una voz oficial de ProVida, me parece irresponsable que el autor de este texto quite conclusiones sobre ideas totalmente subjetivas. Mi intencion no es la de desmentir lo que aqui se dijo, no es necesario. Quines hayan hecho los cursos, y hayan comprobado lo aprendido no van a necesitar tener que aclarar dudas mediante la busqueda de informacion, simplente podran aclarar todo atravez del conocimiento aprendido y aplicado en los cursos.
    al said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Astrocosmico said...
    Incrivel ! Como o simples falar mal hoje em dia é facil... Falam mal de evangelicos o que frequentam a pro vida, falam mal da pro vida os que são evangelicos, e em contra partida os evangelicos falam mal dos Ateus, e os Ateus falam mal de todos e assim por diante e etc até que o mundo se acabe...
    Pra mim é o seguinte...
    Que cada um se fo*** no que achar melhor pra si,,, seja Ateismo, Evangelicos, Catolicos, Pro vidas, Cientologia,., se esta bem pra eles, entao deixa... E quem critica é um pau no c***...
    Astrocosmico said...
    Interessante!
    Hoje é facil falar mal de cada um, evangelicos falam mal dos PRo vidas, os Pro vidas falam mal dos evangelicos, assim como evangelicos falam mal dos Ateus e os Ateus de todo mundo...
    Fala serio!
    Pra mim que cada um siga o que acha melhor pra si, seja pro vida, evangelicos, cientologia, satanismo e sei la mais o que...
    Quem critica de fato esta criando pra si um dogma proprio... então ate mesmo o Ateismo é uma forma religiosa de se pensar, ja que nao tem nem provas de nada contra os que dizem ter provas.
    thaise said...
    Meu irmão e minha cunhada frequentam o pro vida faz 4 anos. A questão é que elee leva os filhos com eles que são de menor 12 e 13 anos. E pelo que vi nos depoimentos o pro vida prega que a família é em 1º lugar. Me desculpem mais eles vivem em função do dinheiro, só querem saber de trabalhar dia e noite para subir na vida e os seus filhos ficam jogados de lado, sem nenhuma atenção. Quem educa meus sobrinhos são as palestras do pro vida. Portanto, não ligo deles irem, porque já são adultos e é problema deles, mais acho que meus sobrinhos não estão preparados para essa lavagem cerebral.
    ALGUÉM DO PASSADO !! said...
    conheço e muito bem a PRÓVIDA.
    desculpem os que já estão a anos, cada um é cada um , sei muita coisa mesmo,o pior de tudo isso é que alguns , uo váris pessoas se desligam de seus parentes, amigos por conta disso.
    tenho RAIVA DESSA PROVIDA, ME DESCULPE NOVAMENTE, POIS PERDI TOTALMENTE MINHA FÁMILIA NESSA MERDA DE SEITA.
    E EU SEI MUITO BEM O QUE ESTOU DIZENDO.
    DOA A QUEM DOER !!!!!!!!!
    ALGUÉM DO PASSADO !! said...
    conheço e muito bem a PRÓVIDA.
    desculpem os que já estão a anos, cada um é cada um , sei muita coisa mesmo,o pior de tudo isso é que alguns , uo váris pessoas se desligam de seus parentes, amigos por conta disso.
    tenho RAIVA DESSA PROVIDA, ME DESCULPE NOVAMENTE, POIS PERDI TOTALMENTE MINHA FÁMILIA NESSA MERDA DE SEITA.
    E EU SEI MUITO BEM O QUE ESTOU DIZENDO.
    DOA A QUEM DOER !!!!!!!!!
    Claudio Billar said...
    Nem de um lado nem do outro! apenas posto um apelo ao bom senso de cada um para que se coloquem no lado oposto. Pensem como gostariam de ser tratados. Ao invés de tentar incutir suas idéias no outro, olhem com amor e respeito a busca de cada um, pois todos somos seres humanos desejosos por uma vida digna. Para mim, cada filosofia tem um lado que nos agrada e outro que deixa um pouco a desejar. Claro que nada é perfeito, portanto, nada satisfaz por completo o anseio individual. Sejamos honestos conosco mesmos e aceitemos o que não podemos mudar! E ainda mais, façamo-nos as seguintes perguntas: Minha verdade é absoluta? Sou capaz de reconhecer a verdade absoluta se ela se nos apresentar?
    Se a resposta para uma dessas perguntas for um "não" ou "um não sei" aconselho que reconheçamos que não temos a verdade absoluta, portanto não estamos na posição de julgar. Se me permitirem, gostaria de compartilhar com vocês algo que me alenta nessa minha busca: Jesus disse "Eu sou o Caminho a Verdade e a Vida. Ninguem vem ao pai senão por mim". Claro Que isso expressa a minha fé pessoal, Portanto, como é pessoal, agradeço se a respeitarem. Tenham todos um dia excelente!
    LC said...
    disculpa el atrevimiento, pero creo que tus comentarios son sumamente carentes de ejemplos.
    Para poder opinar con fundamente debes haber pasado por ello.
    De hecho uno de los titulos que planteas es sobre la Homosexualida, y sinceramente no es cierto.
    Deberías sentarte, escuchar y dar tu opinion con fundamentos concretos.
    Aclaro, NO ES UNA SECTA Y NO HAY CHARLATANISMO, al contrario de tus dichos, es mucho mas libre de lo que planteas. No te obligan a nada, solo depende de uno adquirir los conocimientos que plantean y decidir tomarlos o dejarlos.
    Son más que aplicables a la vida misma, y con respecto al dinero (que es lo que maneja a la gente carente de ser), no te obligan a dar el diezmo ni a aportar nada, si uno no lo desea o no puede.

    Me parece que no comprendiste el mensaje y las enseñanzas, y no es un lugar donde se juzgue a la persona, solo se lo capacita o educa, es como ir a una clase, pero donde te muestran el ser mismo.

    Te repito, para poder hablar, debes pasar por la experiencia, y creo que estas generando un mal juicio sobre algo que claramente NO CONOCES.

    Un consejo, investiga las técnicas, los textos, las bases y la forma en como se transmite.

    Cuidemos de hablar banalidades y hacer juicios de cosas que no conocemos.

    Da el ejemplo y participa de un curso, date el placer de poder hablar con conocimiento de causa.
    Los principios del hombre son los que hacen la hombre.
    Sara said...
    Não consigo entender o motivo de tanto ódio por pessoas que defendem valores familiares, isto não quer dizer que estas pessoas não tolerem o homossexualismo, muito citado no texto.
    A PV não vende em momento algum a idéia de ser uma religião ou seita que condena o lucro financeiro, assim como acho justo a familia do Charuri receber porcentagem sobre o que se arrecada com os cursos, afinal, ele foi o idealizador desse método de treinar mentes.Importante destacar que as pessoas quando procuram a PV o fazem com seus próprios pés.
    Muito do que foi relatado sobre o que ocorre nas aulas, nem sempre é veridico e em alguns momentos percebe-se uma interpretação das ações desenvovidas pelos monitores, de forma extremamente maldosa e tendenciosa por parte do autor do texto.
    Ao contrário do que se comentou,dentro do PV percebemos como somos frágeis e como dependemos uns dos outros, portanto impossível que alguém sinta-se superior por ser aluno da PV.
    Tenho a impressão que o autor(a) desse texto baseou-se em informações de pessoas que se auto julgam à margem da sociedade.
    Engraçado é rebater dogmas ditos da PV, com os dogmas de quem escreveu o texto.
    Para finalizar, qual o motivo de tanta preocupação com o PV, com tanta coisa mais nociva para se atacar nesse país?
    Equilibri-se e tenha paz.
    yka said...
    Quando fiz o curso básico há um mês, não fui com idéias pré concebidas, mas com curiosidade, pois muitos membros de minha família frequentam a pró- vida, alguns tem chalé em araçoiaba da serra, e nunca se abriram sobre as atividades internas da instituição, tentando de forma gentil nos convencer a fazer os cursos para ter uma vida melhor.
    Quando terminei o curso (ganhei de presente de 2 irmãs e o mesmo custou 510,00 reais, pago em 3 vezes no cartão.), não saí de lá revoltada, ou me achando enganada, mas pensando que tais conceitos provavelmente me ajudariam a realmente ter uma vida melhor.
    Como sou uma pessoa de natureza questionadora, já frequentei muitas religiões e finalmente me encontrei no espiritismo; no centro espírita sempre tive liberdade de ir e vir, questionar, discordar, frequentar outras igrejas ou templos se assim desejasse e como não poderia deixar de ser, resolvi pesquisar na internet o que se comenta ou se sabe sobre a pró-vida, pois não tenciono ter uma fé cega naquilo que não conheço; confesso que fiquei muito incomodada com os artigos que li, pois os textos refletem um comportamento robotizado, ensaiado e padrão dos membros, monitores, etc.
    quando lí os textos neste blog, fiquei chocada, pois tudo o que presenciei lá, estava relatado aqui, a atitude do monitor, o atraso durante as aulas, o modo como entrava na sala de aula e olhava para uma pasta grossa contendo o assunto do curso, TUDO é uma repetição vergonhosa, e com que finalidade?
    Lí todos os artigos deste blog, lí tb a tese de psicologia da USP, lí o artigo da revista Marie Claire (que é de 1994), lí vários depoimentos de ex providianos e confesso que é uma coisa assustadora, assemelha-se realmente a uma seita que quando enreda o indivíduo prende-o em suas garras e somente por um milagre a pessoa consegue se livrar.
    Tentei fazer com que minhas irmãs lessem os artigos que lí, principalmente a tese, mas uma delas ignorou meu pedido,e a outra acha que tudo isto é obra de pessoas atrasadas, invejosas, inferiores e que não estão prontas para serem felizes. Quando elas falam da pró-vida, os olhos parecem vidrados, e o mesmo acontece com várias pessoas que me cumprimentaram durante o curso.
    Todos meus parentes que frequentam são de uma condição socio-econômica alta e participam ativamente como voluntários.
    continua...
    yka said...
    Quando vc lê a reportagem da revista marie claire, se sente enganada,pois tudo o que a reporter presenciou em 1994, presenciei em 2012, uma cópia fiel, o mesmo acontecendo com o conteúdo da tese de psicologia da USP.
    Fico aliviada por não ter fechado meus olhos pois ainda posso usar do livre arbítrio para escolher o caminho a tomar, pois quando vc participa ativamente, frequenta as sedes de campo, faz um curso atrás do outro, fica mais difícil sentir-se ludibriado ou querer escapar.
    Adriana Caldeira said...
    Pois é Yka...chato mesmo,mas penso que percepção é individual, assim como opinião.Sou cética, conheço bem espiritismo e penso que Pro Vida é o lado pratico dele, no livri o segredo, te colocam as chaves, percebi que lá te ensinam a ativa-la.
    Seu coordenador de TCC falava aleatoriamente ou seguia um processo?
    Cada ser é um ser e pronto...saber conviver hoje é essencial e poucas pessoas conseguem, a não ser que compartilhem de uma mesma opinião ou bem próximo disto.Mas esta percepção, somente o tempo vai lhe dar...em idade tenra não temos como tê-la, não estamos amadurecidos para compreensão de algumas situações sem tê-las vivido.
    Bom encontro daquilo que vc nem sabe o que é...
    Adriana Caldeira said...
    Entenda-se "idade tenra" a mental ou mesmo fisica.
    Normalmente nesta idade nos questionamos muito,estamos sempre procurando algo que nem mesmo nós sabemos...neste caso, o que esperamos encontrar?TODOS aqui passaram por isto...tem tanta coisa acontecendo neste país para alguns se preocupoarem com o Pro Vida...éopção de cada um...um se acham pagando carnê da Renascer, outros da Assembleía,outros são católicos fervoros,budistas ateístas...qual o problema...não temos todos este direito garantido por nossa constituição?
    Juliana said...
    Resolvi pesquisar sobre a PRO VIDA ,após um trauma que vivenciei a 1 semana. Me relacionei com um cara membro da PRO VIDA e de imediato foi incrível, um impacto que jamais havia sentido, ele é integrante dessa seita e se aprestou como um cara normal e extremamente apaixonante, nos relacionamos intensamente por 5 meses onde até em casamento ele me pediu e a menos de uma semana descobri que ele é casado, compulsivo por sexo virtual e já fez um aborto em namorada que ele teve com certeza casualmente também e isso contradiz a tudo que pesquisei sobre o curso que ele faz a 10 anos e com esse mestrado todo em PRO VIDA no mínimo o que se espera é caráter. O que conclui disso tudo é que a única coisa que se aprende por lá é a manipular para beneficio próprio.
    Adriana Caldeira said...
    Bem...este tipo de pessoa tem dentro e fora de qualquer lugar e religião.Há padres pedófilos...o que se espera de um padre?Veja...independentemente de qualquer assunto, a PV não é seita.Assim como Seicho no Ie também não.Tudo o que se é vivenciado lá, vc pode ou não aplicar em sua vida...não esuqeça de que Deus nos deu livre arbitrio e não mpodemos julgar a conduta de todos por uma só pessoa, principalmente aquela que te magoou.Vc viveu intensamente 5 meses...valeu a experiencia...o problema aqui é acreditar piamente em quem se apresenta...há hj meios e meios de saber quem é uma pessoa antes de se envolver intensamente...internet faz milagres...só não acho legal culpar a PV por um erro seu e dele....
    Gabriela said...
    Conheço várias outras seitas muito antigas e que não param de crescer. Todos já devem ter ouvido falar megatemplos evangélicos, católicos e de várias outra religiões.
    Toda e qualquer união de pessoas para construir teorias espirituais são muito válidas, porém TODAS são infundadas científicamente. Cabe a cada um avaliar e acreditar ou não.
    É válido estudar e fazer críticas aos modelos que não fazer sentido, porém no seu post é possível notar que apesar de estudar muito o Pró-Vida você não pode vivenciar e conhecer os conceitos, criando um post que não condiz com o que é difundido pelo pró-vida e demonstra que sua motivação para tal não está em discordar, mas sim em algo que lhe gera raiva.
    toni said...
    Também fui para a PV sem nenhum preconceito, mas depois de assistir 3 aulas do curso básico resolvi pesquisar. Depois de ler textos prós e contras entendi o óbvio. A PV é uma enganação que nem igreja evangélica só que para um publico um pouco mais instruídos que não acreditariam em comprar uma vaga no céu mas acreditam em pagar varios cursos para aprender a usar o poder da mente. Antes de começar o curso fui entrevistado e uma pergunta nunca foi respondida. Se o objetivo da Pró-vida é melhorar o mundo ajundando as pessoas lhes ensinando um conhecimento importante, por que eles não ministram alguns cursos de graça para pessoas que não tem dinheiro. Para a PV vida só merece obter esse conhecimento se você tiver 300,00. É muita enganação.
    Eduardo Zechini da Silva said...
    Ao fazer a análise do discurso nesta crítica, não reconheci nenhum argumento relevante contra a PV. Trata-se apenas um texto de opinião, bastante tendencioso, apaixonado e explicitamente contra a organização.

    Quando desejamos emitir uma análise isenta sobre qualquer coisa, devemos expor pontos positivos e negativos na balança, levantando as dúvidas e cultivando o livre pensamento. Aqui encontrei apenas um texto inflado, uma seleção de informações bastante duvidosas colocadas como verdades em si mesmas, e omissão de outras com um propósito bastante explícito. Tampouco o autor conhece Filosofia da Ciência para classificar algo como pseudocientífico. As críticas dos cientistas de uma época não desmerecem estudos científicos em andamento. Raramente a maioria da comunidade científica está correta em assuntos científicos de vanguarda, é por isso que existem revoluções científicas. Einstein foi autor de uma, e depois esteve equivocado quando recusou a Mecânica Quântica, provando que também era falho como qualquer ser humano. Assim como a alquimia evoluiu para a química, também assuntos hoje tratados como esoterismo podem ser investigados pela ciência moderna, como qualquer outro assunto, afinal o serviço da ciência está na investigação da verdade, seja ela qual for. Enfim, o autor deste texto se coloca como guardião da verdade, porém sem competência e conhecimento de causa, assumindo uma posição que não lhe pertence, com um estilo presunçoso e prepotente.

    Conheço um pouco sobre a PV e considero-a uma organização como outra qualquer. Organizações raramente trazem apenas pontos positivos ou negativos. Cabe a cada um a opinião própria, mas nunca o juízo de valor como este aqui demonstrado.

    Aconselharia ao autor levantar dúvidas ao invés de demonstrar-se dono da verdade, dando aos leitores a generosidade de exercer o livre pensamento sobre estes assuntos, afinal a ciência atual nunca tomou para si a palavra final sobre eles (por que o autor deveria?), tampouco os boatos e histórias, ainda mais de ex-membros de uma organização, poderiam ser tratadas como isentas e verdadeiras.

    Embora discordando do texto e da posição do autor, deixo a ele e a todos cordiais saudações.

    Um grande abraço.
    Eduardo Zechini da Silva said...
    Ah sim, voltei porque não poderia deixar de compartilhar:

    Tese de Doutorado de Ricardo Monezi (USP/Unifesp):

    http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI152042-17770,00-ACUPUNTURA+E+REIKI+AGORA+TEM+EXPLICACAO+CIENTIFICA.html

    Pesquisa realizada por um engenheiro eletrônico, e também um dos fundadores da FEI de São Bernardo do Campo:

    http://galileu.globo.com/edic/98/conhecimento5.htm

    Para quem gosta de ciência e de questionamentos (e não de certezas).
    Luiz Santilli Jr said...
    Sou agnóstico e absolutamente anti religioso! Tenho fé na ciência como a unica forma de se chegar ao conhecimento.
    Frequentei a Pro Vida hà 25 anos e pratiquei muitos dos conhecimentos que me passaram. Não sou mais assíduo, mas continuo a praticar a impostação de mãos. Minha esposa faleceu de um cancer de pulmão, em 1998, e durante dois anos eu aliviei suas cises de dor, usando os conceitos da impostação de mãos.
    Acho descabidas as obaservações que li aqui. Coisas boas e ruins ocorrem em qualquer intituição de qualquer natureza. Mesmo sendo cético quanto existência da vida eterna, do espírito e das filosofias religiosas, pratico algumas técnicas que me vieram da Pró Vida e vejo que funcionam!
    Portanto acho as críticas aqui vistas como um desabafo de pessoas do tipo "não comi e não gostei"!
    Lamento os que foram à Pro Vida e nada aprenderam, e ainda sairam falando mal!
    Provalvelmente continuam perdidos por ai, à procura de uma religião que os conforte!
    Walquiria De Lima said...
    Bom Dia!
    Li o texto, confesso que não na íntegra pois já percebi que as opiniões conflitantes partem de pessoas que de fato, não perceberam a real intenção desse "trabalho".
    Uma sede aberta com a intenção de disseminar a dedicação ao próximo através de compartilhar informações que conduzam à melhor compreensão do ser e mundo, em contante mutação que aprendem a sintonizar-se dentro de sua própria condição ao mundo do espírito e matéria, sempre respeitando a condição singular do indivíduo que está em busca de seu auto-aprimoramento.
    Claro, é compreensível que nem todos estejam vibrando a mesma sintonia. Aos que não obtem suas respostas, há de aprender a desenolver a paciência, pois o próprio mestre Jesus, falava em parábolas a quem tivesse ouvidos de ouvir. O que significa estar preparado para compreender a "verdade" no seu tempo. Onde se respeita o próximo no seu tempo presente, porém que esse próximo tenha a humildade de dar-se o tempo que necessita ou seguir no que em seu tempo estiver mais apto em compreender e vivencidar.
    Aos incrédulos, estes surgem em todos os lugares, considero que se encontrem nesse comentário que fiz, pois há hora e tempo para todos. Todos um dia irão ter a mesma compreensão. O que não pode ser feito é pular etapas pois isso faz parte do resgate de vida de cada espírito encarnado. Os ensinamentos ali apresentados tem caráter individual, daí nas entrevistas serem avaliações subjetivas, que se percebe o estágio de preparo do candidato.
    Infelizmente não adianta prosseguir um estudo quem não está preparado para o aprendizado. Não entenderá a sutil diferença do que será abordado, não estará em vibração com as experiências propostas, estará com a razão à toda questionando somente, etapas essas que o próprio espírito para estar ali já terá conquistado. Então pessoas, essa discussão é antiga. O próprio Cristo em desejar o "Reino dos Céus" para a humanidade e mostrar que seu Reino não era deste mundo, foi parar no calvário. A razão todos a temos, mas para seguir o caminho da aprimoração dos conceitos do que é a vida do espírito, envolvem fé, determinação, dedicação, humildade, amor fraterno, união. Os adeptos podem e devem divergir, até porque através das divergências encontram-se respostas ou novos caminhos. Tudo é válido, até para os que buscaram fundar novos princípios, mais ajustados à sua realidade e conseguiram manter o equilíbrio nos estudos que certamente continuam na busca de respostas para prosseguirem. Onde há Deus, há amor.
    "Onde houver duas pessoas reunidas em meu nome, ali estarei". (Jesus)
    Jr Aranda said...
    Com consideração e respeito a todos;

    OPORTUNIDADE PARA CONHECER Dr. CELSO CHARURI E EM PARTE,SUA OBRA!

    http://www1.provida.org.br/page/donations

    Próxima Solenidade de Doação

    Data e Horário: 31 de agosto de 2013, às 16 horas

    Local: CENFORPE- Centro de Formação dos Profissionais da Educação "Ruth Cardoso"

    Avenida Dom Jaime de Barros Câmara, 201
    São Bernardo do Campo - São Paulo - Brasil

    Mais informações: http://site.provida.org.br/abc

    - Hotéis

    - Mapa

    Nesta ocasião serão beneficiadas 128 entidades.
    Lucas Franco said...
    Caro autor deste texto, eu frequento a Pró-vida há muitos anos, lá é um local que se aprende muito e nos propõe a sermos pessoas melhores, sempre pensando em forma de ajudar as pessoas. Vc não concorda com os ensinamentos da pró vida, mas vc ao mesmo respeita quem segue os ensinamentos dos cursos? Eu, por exemplo, devo discordar de vc, porém respeito seu jeito de pensar. Não sei se vc é religioso ou ateu, mas independente disso, espero que vc seja uma pessoa não egoísta, que tenha iniciativas e atitudes de sempre está podendo ajudar o próximo. Sabe aquela pessoa que é capaz até mesmo de se prejudicar para ajudar quem está do seu lado? Procuro e tento ser assim, se a gente for assim, melhor cada vez mais, o respeito vai existir, o mundo vai começar a mudar. Não falo de nenhuma religião ou entidade que eu não conheça, por isso não tenha opinião formada sobre maçonaria e outras religiões que são criticadas por pessoas que nem ao menos conhece o que se passa lá dentro. Sou pró-vida, e sobre a pró-vida eu falo, pq conheço seus objetivos. Uma coisa que já notei muito, é que a pró-vida realmente muda muito a pessoa, para melhor ou para pior, mas muda. Para pior? sim, pois lá nos ensina ferramentas poderosas de ajudar pessoas, mas se vc usá-las para prejudicar as pessoas, em seu benefício próprio, certamente sua vida vai piorar. Por isso, lá nos falam: poder e conhecimento gera responsabilidade, saiba usar, pois agora aquilo que era inconsciente para vc, agora é consciente; aquilo que vc pensa, acontece; aquilo que vc quer, acontece. E aqui cabe uma pergunta: o que vc pensa? o que vc quer? Se a resposta disso não tiver nada de egoísmo, pode ter certeza que vc será muito feliz. Espero que vc tenha gostado dessa reflexão, se não gostou, espero que vc respeite meu jeito de pensar e viver, e espero que vc, a cada dia que passa, seja uma pessoa melhor. Lá a gente aprende que não basta não fazer o mal. É preciso fazer o bem! Vc não concorda com as atitudes da pró vida (doações e mais doações para quem precisa, pois o dinheiro cobrado nos cursos é 100 por cento doado), mas mesmo assim, se não acredita, espero que vc, ao invés de criticar uma entidade que cobra pelo curso para doar para quem precisa .... espero que vc também seja uma pessoa que ajuda os outros. A maioria das pessoas que criticam (espero q nao seja seu caso) são pessoas que no fundo não fazem nem ao menos parecido com aquilo que eles criticam, (ou seja, critica quem ajuda, mas eles mesmos nao ajudam), tem pessoas que criticam o jeito da pro vida de ajudar, mas sao pessoas que nunca ajudaram ninguem (repito, espero que nao seja o seu caso). Talvez seja por isso que vc nunca vai ver a pró vida criticar ninguém .... Grande abraço.
    Digão S. said...
    Pelo menos lá eu aprendi à respeitar pessoas e suas crenças. Algo que faltou e muito na matéria e nos comentários de alguns aqui publicados.

    Se o respeito ao próximo fosse exercido por todos, não veríamos o Mundo no estado em que se encontra agora.

    Ninguém lá dentro é mais ou menos, que qualquer outro fora de seus ensinamentos. Mas o ensinamento lá não pode ser confundido com as pessoas que lá estão em busca de algo.Cada um tem sua visão e interpretação. Se foi maltratado ou tratado com indiferença, é porque quem cometeu a ação do destrato ainda não entendeu a Pró-Vida.

    Fiquem todos em paz!
    Wilma Reis said...
    Dr HÉLIO COUTO DA PALESTRAS É DÁ MESMA LINHA ESTÁ TAL MECÂNICA QUANTICA ?
    RB said...
    Seita???? Vai quem quer..... ninguém é forçado a nada...Porque não procuram o que fazer....
    Amandinha said...
    Todos têm o direito de ter sua própria opinião. É como disse Voltaire, "posso não concordar com uma palavra do que diz, mas defenderei até a morte seu direito de dizê-las" . No entanto, me parece que o autor critica a instituição sem ter conhecimentos suficientes para tal... Foram ditas muitas coisas aqui que não são verdade. É um direito seu não querer frequentar a instituição, mas ofender seu idealizador, seus monitores e seus participantes? Conheça primeiro, depois tome partido. Ninguém é obrigado a ir lá, vai quem quer! Na minha opinião, trata-se de uma crítica destrutiva, sem fundamento algum. Frequento a Pró Vida há algum tempo, e minha vida melhorou muito desde então. Comprovei em minha vida várias "suposições" (como disse o autor) feitas pela Pró Vida. Quanto à busca de uma comprovação científica, várias das teorias da Pró Vida são sim comprovadas cientificamente. Como eu disse, todos têm o direito de não gostarem da instituição e optarem por não frequentá-la; mas tenham respeito. Estão falando mal de algo sem sequer ter conhecimento suficiente a respeito... E sobre o dr. Celso, cuidado, isso é difamação.
    Adriana Teixeira said...
    Bom, primeiramente boa tarde. O meu depoimento é plenamente fundamentado, uma vez que na minha juventude, em um momento difícil da minha vida, fui convidada a participar dessa seita chamada PRÓ-VIDA. Sim, é uma seita na qual os não membros são tratados com désdem, eles procuram convencer que o Dr. Celso Charuri é um Deus ou semi Deus, que você pode tudo, absolutamente tudo com o poder da sua mente, desde a cura de um câncer até conseguir ganhar de um desconhecido uma BMW zero. Foi a coisa mais estúpida, que já vi em minha vida, a maior lavagem cerebral em massa da qual participei. Logo no curso básico percebi do que se tratava (de uma seita totalmente desprovida de racionalidade, de embasamentos teóricos respeitáveis e religiosidade) e disse o que pensava, da forma mais delicada possível. Um a um dos "amigos" do pró-vida me insultaram, fui maltratada, chamada de indigna, mente inferior por não reconhecer a verdade perante meus olhos e vários outros insultos quejuto desnecessário citar. O mais impressionante é que, mesmo de longe, vi a vida de boa parte desses membros demoronarem, pois na certeza do poder da mente garantido pelo Dr. Celso Charuri, abandonaram empregos sólidos e começaram a fazer "telas mentais" para obterem riquezas e tudo o que desejavam. Essas pessoas retrocederam de uma forma inenarrável. Quem não conhece, aconselho a não conhecer, pois trata-se apenas de mais uma tola seita, prometendo ouro de tolos.
    Robber said...
    Caro Marcos,

    vejo que por algum motivo você se sente extremamente ofendido com a possibilidade de um grupo de pessoas admitirem serem felizes nos dias de hoje. Deve ter seus motivos.
    Mas como você só poderia conhecer realmente o que é a Pró-Vida e quem foi Dr. Celso Charuri fazendo os cursos, e como sei que isso está ainda longe de acontecer,permita-me compartilhar algo.

    Imagine um cidadão qualquer que tenha conseguido todos os bens materiais que julgava necessário, mas que por algum motivo lhe falta algo, sente uma angústia tremenda e não sabe de onde vem esse sentimento, não tem amigos, vive preocupado. E procurando uma resposta aqui e ali ele acaba um dia fazendo o curso da PV. Então esse cidadão acaba reconhecendo que ali ele encontrou amigos, encontrou uma nova razão para viver, sentiu que é possível ser feliz nos dias de hoje.

    Aí lhe pergunto: que vida você acha que esse cidadão prefere? Aquela de angustias, sofrimentos, falta de amigos, ou esta que ele se deu a oportunidade de conhecer por livre-arbítrio, e que fez a ele um bem tremendo?
    Aí lhe pergunto novamente: independentemente de quanto ele pagou por isso, não acha que há um certo grau de crueldade em tentar destruir algo de tamanho valor para tantos como este cidadão? Aliás, qual o melhor caminho? A busca pela felicidade, ou tentar destruir a esperança e a felicidade dos outros?

    Encerro com 3 perguntas:
    1. Você tem um mestre?
    2. Você tem princípios?
    3. Você é uma pessoa feliz?

    Até breve!
    Confissões Permitidas said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Adriana Teixeira said...
    Chega a ser engraçado ler as discussões acerca do PRO=VIDA...Como eu já disse anteriormente, fui frequentadora e o que encontrei foi a maior compilação de pensamentos de outros filósofos agregados a mistificações e segredos, muitos segredos, porém sem nenhum embasamento científico sério. Ou seja o discurso é sempre o mesmo, se você não conseguiu levitar, o carro do seu sonho, a cura da sua doença o problema está em você, pois não é merecedor, não atingiu o grau necessário de evolução. É um desfile abundante de ego, existe sim discriminação entre os próprios membros, os mais "abastados financeiramente" são os mais bem tratados. Já fui ao clube de Campo deles em Araçoiaba da Serra, e sinceramente o que vi além de um lugar bonito pela natureza foi uma confusão de teorias, ora egípcias, ora japonesas e sei mais o que. Todos parecem saber de tudo, mas na verdade estão sempre tão perdidos, procurando algo que sempre é prometido e nunca encontrado. Esse é um dos processos de "aprisionamento do pró vida", eles prometem, enrolam com várias teorias filosóficas e místicas compiladas, e vão envolvendo os frequentadores com a promessa que "no momento certo, o que você almeja acontecerá". É triste ver cenas como essa, existem sim, muitas pessoas boas, pessoas perdidas, depressivas que procuram a solução para os seus problemas, as suas dores, mas as amizades, as conquistas obtidas lá são todas ilusórias. A partir do momento que essas pessoas passarem a questionar os conceitos como eu passei, começarão a ser mal tratadas, discriminadas e toda uma sequencia de absurdos. Sempre fui espírita Kardecista, e sempre visei o amor ao próximo e o desprendimento dos bens materiais,e a gota d'água para mim foi em uma conversa ao me declarar espírita, ouvir que eu teria que optar, ou ser do pró vida, que é a verdade absoluta e trás as verdades, ou ser espírita. Não pensei duas vezes, já estava farta com com toda aquela farsa, virei as costas e nunca mais voltei. Todos os AMIGOS do pró vida me viraram as costas, e sabem de uma coisa? não me fez a menor falta. Quando saí, senti uma leveza tão grande de espírito, me senti liberta de toda essa bobagem de pirâmide embaixo da cama, bússola para verificar o angulo correto da pirâmide, tela mental para obter bens materiais, levitação...A única coisa boa que aprendi foi a meditação, mas isso, nada como uma ioga não possa ensinar. Aos que querem conhecer o pró vida só tenho uma recomendação, usem a racionalidade e não a emoção, tudo que é místico e promete mundos e fundos seduz, e às vezes envolve de tal forma que a pessoa não consegue se libertar. Quanto às perguntas que li feitas por alguns adeptos aqui nesse blog eu respondo com toda a certeza do mundo: sim, eu sou feliz, sim, eu tenho paz, sim, eu faço e vivo em um mundo melhor, e não preciso de um guru para isso, sigo apenas a minha consiencia e minha fé em Deus. A todos, adeptos ou não, desejo sabedoria e paz
    Aislan Camilo said...
    Concordo com a Mariana e vejo a PV uma instituição séria que teve muito a agregar em minha vida. E tudo o que lá ensinam eu pude comprovar em minha vida. Desde a Clarividência a Levitação. É uma pena pessoas que criam um BLOG para falar mal de algo que só vem a ajudar as pessoas. Agora vai na PV quem realmente busca um aprendizado novo em que vem a agregar positivamente muito a vida da pessoa e de sua família como um todo. É por isso que vemos tantas coisas erradas acontecerem no mundo à fora, justamente por que existem pessoas que querem questionar muito sem antes conhecer de perto. Não é necessário ser um Filósofo reconhecido ou com obras lançadas para dizer a verdade. Mais cada um pensa o que quiser e faz o que bem decidir em sua vida.
    Laura Lau said...
    Hola. Me gustaría conocer más sobre PRO VIDA. Links e información que no sea la oficial de la fundación. No hay mucha información en Internet, más que su propia página y textos y frases. Lo que necesito es justamente, lo contrario. aLGUNA PISTA?
    Leo Ramos said...
    Nem HOMEM, nem homem, apenas Homem!

    Bela iniciativa ter idealizado este blog, não tenho certeza do objetivo principal, se é afastar o interesse ou amplificar nosso momento de preparo para conhecer a fundo a instituição!
    Não o(a) condeno, tão somente agradeço!
    Tanta dedicação em pesquisar e abdicar do precioso tempo, deve haver uma razão, seja feliz com ela, é o que importa!

Post a Comment



Postagem mais recente Postagem mais antiga Início